Categoria: Saúde e Bem-Estar

Capa de 'Vômito e diarreia em pets: tire suas dúvidas – Parte 2'

Vômito e diarreia em pets: tire suas dúvidas – Parte 2

Na primeira parte da entrevista com a médica veterinária Patrícia Padovez vocês confereriram quais são as principais causas de vômito e diarreia em pets e como identificar quando os sintomas se tornaram preocupantes.

Confira mais algumas dicas da veterinária sobre vômito e diarreia em pets:

 

Os gatos passam muita parte do tempo se limpando, e isso contribui para a formação de bolas de pelo que precisam ser expelidas. Como diferenciar quando os vômitos são decorrentes das bolas de pelo de algo mais preocupante?

Na verdade, a intenção não é que eles eliminem esses pelos por meio do vômito, o ideal é que eles sejam expelidos através das fezes. Mas, quando eles eliminam através do vômito os pelos saem todos juntos e em formato de “charuto”, é assim que diferenciamos.

Nos alimentos da Farmina Pet Foods existem matérias-primas em sua composição que auxiliam na digestão desses pelos e na eliminação pelas fezes, um exemplo de componente é a micro fibra de ervilha. Ela vai atuar no estômago do animal soltando os pelos e também na mucosa do intestino, evitando a aderência.

Quando este tipo de alimentação diferenciada é introduzido na dieta do gato, é normal que as primeiras fezes do animal saiam com muitos pelos, dá para perceber bem que realmente a ração começou a fazer efeito. Posteriormente, a quantidade de pelos eliminados se torna menor e as fezes voltam ao normal.

 

Quais os principais problemas em longo prazo que podem ser desencadeados por diarreia e vômito não tratados corretamente?

No caso de vômitos, o animal pode ficar predisposto a ter uma sobrecarga do trabalho do trato gastroentérico e desenvolver algum problema de úlcera ou de gastrite. Além disso, o pet pode apresentar problemas relacionados ao esôfago. No caso da diarréia pode ser mais preocupante, pois pode haver um prejuízo na nutrição deste animal por que não está acontecendo a absorção adequada da quantidade de nutrientes. Isso irá gerar queda de peso e de imunidade e, consequentemente, o seu cão ou gato ficará mais predisposto a adoecer.

 

Quais medidas podem ser tomadas para evitar problemas de vômito e diarreia?

O cão e o gato não têm a capacidade auto-regulatória, isso significa que eles não regulam a quantidade de alimento ingerida. São poucos os animais que “administram" sua alimentação. Por isso, é muito importante dosar as quantidades diárias de ração dada ao seu animal para que não fique alimento à vontade para ele comer, pois ele vai acabar comendo demais e certamente ter problemas de vômito ou diarreia, além de ficar pré-disposto à obesidade. O correto é seguir as quantidades diárias sugeridas na embalagem do produto e fracioná-las em mais de uma refeição ao dia.

Além disso, como já foi dito anteriormente, fazer a troca gradativa da ração de acordo com a orientação do fabricante vai diminuir muito a possibilidade do animal ter fezes amolecidas ou vômito durante o período de adaptação; ficar atento à data de validade do produto; se ele está sendo comercializado na embalagem original; e também se a ração está sendo armazenada corretamente para evitar a proliferação de mofo.

 

Gostou das dicas? Tem alguma dúvida sobre o assunto? Deixe seu comentário abaixo!

 

Happy pet. Happy you.