Categoria: Dicas

Capa de 'Sete dicas para uma pelagem exuberante em cães e gatos'

Sete dicas para uma pelagem exuberante em cães e gatos

É gratificante ver nosso pet com o pelo sedoso e bem cuidado. Apenas animais saudáveis podem exibir uma pelagem assim. Porém, a estética é o menos importante, já que a pele e a pelagem têm funções vitais para o animal. Neste artigo vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre este assunto, falando sobre o ciclo do pelo, de nutrientes essenciais, das causas da queda de pelo em cães e gatos e mostraremos sete dicas para que seu pet tenha uma pelagem sempre saudável.

O ciclo do pelo

O pelo é formado por um composto de proteínas chamado queratina, que forma as unhas também. É produzido por células epidérmicas no folículo piloso, uma estrutura profunda na pele, localizada na derme. Ao contrário do que parece, o pelo não cresce continuamente, mas sim em ciclos:

Fase anágena: é quando o folículo piloso está ativo, produzindo o fio, chamado também de período de crescimento. Tanto nos cães como nos gatos, essa fase persiste até o momento que o fio atinge o comprimento determinado geneticamente, variando pela região do corpo.

Fase catágena:  é transitória e de curta duração. É quando a produção do fio termina.

Fase telógena: período de repouso, onde o fio não está nem sendo produzido, nem irá cair ainda.

Fase exógena: é na verdade o fim da fase telógena, onde finalmente o pelo se solta e cai. Ocorre quando já há outro pelo sendo fabricado pelo folículo.

Enquanto determinados fios estão crescendo, outros estão caindo, ou seja, as 4 fases estão acontecendo ao mesmo tempo no animal, porém a anágena é a mais predominante e mais longa. Alguns fatores podem aumentar ou encurtar determinada fase, mas em condições normais há uma mudança de acordo com a época do ano, onde há a troca da estação fria para a quente, e vice-versa.

Nutrientes essenciais para a pelagem

Uma nutrição de qualidade e balanceada é fundamental para que o corpo tenha os subsídios necessários para produzir um fio forte e hidratado. A falta ou o excesso de alguns nutrientes podem alterar o ciclo, acelerando a queda ou encurtando a fase de crescimento. De maneira geral, praticamente todas as vitaminas, minerais, proteínas, carboidratos e gorduras são importantes para saúde da pele e pelagem. Porém, separamos algumas que estão mais relacionadas à produção e manutenção dos fios.

- Zinco: um dos minerais mais importantes para os mamíferos, sua deficiência leva a diversos sintomas, entre eles lesões de pele e queda acentuada de pelos. O zinco está envolvido com o processo de divisão e crescimento celular, algo que ocorre continuamente na pele. Participa também da síntese de proteínas e da regulação de hormônios.

- Ácidos graxos: entre os nutrientes que as gorduras fornecem, existem os ácidos graxos essenciais, como o ômega 3 e ômega 6. Essas substâncias têm um papel importante na permeabilidade das barreiras da pele, mantendo a fluidez entre as membranas das células cutâneas para a passagem de elementos que vão nutrir estas células. Como resultado, mantém a pele e a pelagem hidratada e protegidas das intempéries. Além disso, os ômegas funcionam como reguladores das respostas inflamatórias, inclusive as que afetam a pele.

- Vitamina A: além das muitas funções dessa vitamina, ela participa da queratinização, ou seja, da produção da “matéria-prima” dos pelos, das unhas e da camada externa da pele. A deficiência de vitamina A causa lesões de pele e problemas como seborreia.

- Proteínas: a constituição básica do fio é de uma proteína formada de aproximadamente 8 aminoácidos. Por isso, o aporte de proteínas vindo da dieta é tão importante. Com todos aminoácidos presentes sendo fornecidos diariamente, as células terão o necessário para crescimento e renovação da pelagem.

O primeiro passo de uma pelagem saudável é fornecer esses e todos os outros nutrientes em quantidade e qualidade suficiente. Porém, mesmo que isso ocorra, pode haver uma queda de pelos que incomoda o tutor. Veja quais são as principais causas desse problema.

Causas de queda de pelo

Épocas do ano

Essa é uma das principais causas, e não deve ser considerada um problema. O organismo da maioria dos animais possui mecanismos de fotoperíodo que identificam a chegada da estação quente ou fria para modificar a pelagem. Durante o início do período quente, onde os dias são mais longos, há uma queda predominante do subpelo. Esse tipo de pelo é mais curto, macio e muito numeroso, e tem como principal função manter o corpo protegido do frio. Cães de raças provenientes de locais frios, como Husky Siberiano, Golden Retriever, Pastor Alemão, entre outros, terão uma queda de pelos acentuada nessa época.

No início da estação fria também pode haver uma queda a fim de renovar o pelame para fios mais longos e mais grossos, derramando uma parte dos que estavam ativos no verão.

Hormônios

Vários hormônios têm a capacidade de alterar o ciclo do fio, levando à queda excessiva, ou até a alopecia, condição onde há ausência de pelos em determinadas áreas.  Problemas na tireoide, como o hipotireoidismo, e nas adrenais, como o hiperadrenocorticismo, são os mais comuns nesses casos.  Distúrbios nos hormônios reprodutivos também vão afetar o crescimento dos pelos.

Estresse

Quando um animal está sob uma condição de estresse contínuo, há um comprometimento do sistema imune, e até um desequilíbrio hormonal. Esses problemas podem levar a estados inflamatórios que causam queda de pelo.

Alergias

A alergia nada mais é do que uma resposta do sistema imune a algum invasor ou a alguma substância que é reconhecida como agressora. Existem três tipos principais de alergia que acometem os pets, sendo elas a alimentar, a por picada de pulgas e a atópica (causa indeterminada). Além das alergias, também devemos considerar a intolerância alimentar, que em alguns casos pode provocar problemas de pele. Todos esses quadros estão associados à queda de pelo nos animais, pois provocam lesões, coceira intensa e, consequentemente inflamações na pele, que afetam a saúde das estruturas envolvidas com a manutenção da pelagem.

Parasitas

Alguns parasitas também podem estar envolvidos na queda de pelo em cães e gatos, como vermes intestinais, pulgas, carrapatos e ácaros. No caso dos vermes intestinais, eles se alimentam da comida ingerida pelo animal, impedindo a absorção completa de nutrientes pelo organismo. Existem também os vermes intestinais que se alimentam do sangue, “roubando” nutrientes importantes que estão circulando, acarretando em falta desses elementos fundamentais para o pelo. Em relação às pulgas, carrapatos e ácaros, a queda dos pelos está associada com a inflamação e a coceira intensa que esses parasitas causam. Sendo assim, a inflamação prejudica toda a nutrição dos fios, e o ato de coçar acaba arrancando muitos pelos saudáveis.

7 Dicas para uma pelagem exuberante

1 - Escovação

A escovação é, sem dúvidas, uma das formas mais importantes para manter uma pelagem bonita e saudável. Deve ser feita todos os dias para a retirada de pelos mortos, mas é preciso ficar atento para não machucar a pele do animal. Portanto, utilize escovas macias, fique atento com os nós e procure fazer movimentos suaves.

2 - Banhos

Todo tutor quer manter o seu pet limpo e cheiroso. Entretanto, não é recomendado dar banhos com muita frequência, pois eles podem tirar a proteção natural da pele e até ressecar os pelos. O mais indicado é dar banhos a cada 15 dias em média, com produtos de boa qualidade que contribuam para a hidratação da pelagem.

3 - Tosa

Para quem possui um pet de pelagem dupla e longa, não é recomendado fazer a tosa na máquina, uma vez que esse tipo de aparelho acaba cortando o subpelo. Raças de porte médio e grande com pelagem longa e densa, em geral não devem ser tosados dessa maneira pois o subpelo pode demorar até mais de 1 ano para crescer até o comprimento total.

4 - Controle de parasitas

Conforme falamos nos tópicos acima, os casos de infestação por parasitas são frequentes. Para evitar que o seu pet sofra com as consequências de uma possível infestação, é necessário manter o controle desses patógenos em dia. Para isso, não deixe de dar medicamentos para pulgas, carrapatos e de fazer um plano de vermifugação adequado junto ao seu Médico Veterinário. 

5 - Saúde mental

A saúde mental está ligada à qualidade dos pelos, pois um animal estressado tende a perder mais fios do que aqueles que estão saudáveis. Para evitar que o seu pet tenha esse tipo de problema, é importante fazer atividades diárias, dar atenção, e estimular os seus instintos através do enriquecimento ambiental.

6 - Visitas ao Médico Veterinário 

É importante visitar semestralmente, ou ao menos, anualmente, um Médico Veterinário de confiança. Além das causas que explicamos, existem ainda muitas outras para queda de pelos. É fundamental fazer exames preventivos para detectar qualquer alteração ainda não aparente.

7 - Nutrição               

Explicamos mais acima quais são os nutrientes fundamentais para saúde da pelagem. Um detalhe importante é que os alimentos de origem animal são ricos nesses nutrientes, sendo prontamente absorvidos pelo sistema digestório dos carnívoros. Os aminoácidos essenciais para cães (10) e para gatos (11) estão todos presentes em quantidades e variedade suficientes apenas nos alimentos de origem animal. A Vitamina A também só é encontrada em sua forma final nesses alimentos. Gatos não conseguem transformar o betacaroteno (precursora da vitamina A presente nos vegetais) em vitamina A, necessitando de uma fonte animal. Os ácidos graxos também devem ser provenientes destas fontes, pois os vegetais fornecem esses nutrientes em condições que não são as ideais para animais carnívoros. Por isso, procure sempre por dietas que respeitam as características alimentares dos cães e dos gatos. É possível oferecer também uma alimentação de alta qualidade que foi desenvolvida especialmente para a pele e a pelagem dos pets:

Alimento N&D Quinoa Skin & Coat:  A Farmina desenvolveu esta dieta especialmente para animais com pele sensível, favorecendo a saúde e a beleza da pelagem. Estão disponíveis 2 opções, uma a base de carne de Pato, e outra a base de Peixe. No caso da Skin & Coat Peixe, um dos principais atributos é a fonte exclusiva de proteína animal, utilizando sempre apenas 1 tipo de proteína, proveniente do peixe.  Essa característica permite que o produto seja uma alternativa para animais que enfrentam sensibilidade alimentar a determinadas proteínas que são muito utilizadas em fórmulas das rações mais comuns do mercado. Esse alimento fornece também níveis mais altos de ômega 3, que desempenha um papel anti-inflamatório, além de vários outros antioxidantes que estão naturalmente presentes nos ingredientes da fórmula.  Toda a linha N&D Quinoa da Farmina apresenta outras características especiais:

- Mais de 90% das proteínas vêm de ingredientes de origem animal

- Não contém cereais

- Possui apenas com conservantes naturais

A Farmina oferece atualmente muitos alimentos diferenciados, com características específicas para diferentes situações. Para te ajudar a escolher o ideal, existe o Plano Nutricional. Clique aqui para receber uma indicação para o caso específico do seu pet, e garanta um desconto exclusivo.

Se você ainda tiver dúvidas ou sugestões, entre em contato com a gente via redes sociais, SAC ou deixando um comentário abaixo.