Categoria: Cães

Capa de 'Por que os cães também precisam de enriquecimento ambiental?'

Por que os cães também precisam de enriquecimento ambiental?

O enriquecimento ambiental ainda é um assunto desconhecido pela maioria dos tutores, mas está ganhando cada vez mais destaque no mundo dos pets pelo fato dos animais viverem em espaços pequenos, como apartamentos e casas com pouco espaço livre. A restrição do espaço pode causar alguns problemas físicos e psicológicos aos animais, induzindo comportamentos inadequados como latidos insistentes, destruição de objetos, lambeduras excessivas, e outros sinais de ansiedade. A explicação para o aparecimento desses problemas é simples: na natureza, os animais ocupam a maior parte do tempo procurando alimentos, água, esconderijos, parceiros para reprodução, fugindo de possíveis predadores e vivenciando novas experiências. Com a limitação do espaço e a baixa quantidade de atividades físicas o bem-estar do animal estará prejudicado, e comportamentos que não são naturais podem vir à tona. Veja em detalhes o que é bem-estar animal e como melhorar a qualidade de vida do seu cão através do enriquecimento ambiental.

O que é bem-estar animal

Primeiramente, devemos explicar o que o bem-estar animal. Todo animal é considerado um ser senciente, ou seja, são capazes de sentir dor, medo, tristeza, assim como vivenciar emoções positivas. Estudos mostram que muitos animais vivenciam emoções complexas, como por exemplo, o luto e a empatia. Em 1993, o Conselho de Bem-Estar dos Animais elencou as 5 liberdades que todo e qualquer animal deve ter durante a sua vida, e são utilizadas para avaliar o seu bem-estar:

1 - Livre de fome e sede.
Livre acesso à água fresca e dieta condizente com a espécie e que garanta saúde e vigor físico plenos.

2 - Livre de desconforto.
Ambiente apropriado, com local limpo e seco, inclusive abrigo e área de descanso confortáveis.

3 - Livre de dor, lesão e doenças.
Prevenção e rápida intervenção para aliviar ou cessar a dor caso ela ocorra. Atendimento veterinário sempre que necessário.

4 - Livre para expressar seu comportamento natural.
Espaço e instalações apropriados, que permitam expressar comportamentos naturais da espécie.

5 - Livre de medo e estresse.
Assegurar condições e tratamento que evitem o sofrimento psicológico.

Portanto, um animal está em uma boa condição de bem-estar se está saudável, confortável, bem nutrido, seguro, é capaz de expressar comportamentos natos, e se não está passando por situações desagradáveis, como dor, medo e estresse.

Sabemos que felizmente não é difícil oferecer essas 5 liberdades para os nossos cães. Porém, devido à vida moderna com residências cada vez menores, onde os tutores passam boa parte do dia fora de casa, os cães acabam ficando entediados e sentem dificuldades de expressar seus comportamentos naturais e instintos, gerando estresse e comprometendo seu bem-estar mental. Para isso, além de praticar exercícios físicos regularmente, conforme já explicamos em outro artigo, enriquecer o ambiente é uma alternativa para melhorar a qualidade de vida dos cães.

O que é o enriquecimento ambiental?

O enriquecimento ambiental é um conjunto de técnicas que melhoram as condições do ambiente em que o pet passa a maior parte do tempo, estimulando sentidos e aguçando a curiosidade do animal. A ideia começou a ser testada nos zoológicos, onde os animais passam a vida em ambientes muito menores que os “naturais”. Com os resultados positivos, as técnicas começaram a ser implementadas nos animais de companhia também.

Para compensar a falta de atividades no dia, o cão acaba procurando uma ocupação que está na maior parte das vezes relacionadas a atitudes negativas, por exemplo destruição de móveis, micção em locais inapropriados, além de comportamentos que até feri-lo, como lambeduras excessivas. O objetivo do enriquecimento ambiental é estimular a atividade mental, proporcionando condições para que o animal expresse o seu comportamento natural através dos seus sentidos e instintos. Dessa forma, é possível diminuir o estresse do cotidiano e acalmar os cães quando ficam sozinhos. Quando o animal interage com o ambiente, ele cria uma identificação com o lugar. Ao criar essa identificação, os pets se sentem mais seguros e confiantes, fatores que restringem a dependência do tutor em relação ao entretenimento e atenção.

Confira a seguir as principais maneiras de enriquecer o ambiente:

Enriquecimento Ambiental Social

Consiste no convívio com outros indivíduos, como por exemplo pessoas e outros animais. Para cães isso é muito positivo, pois são animais que naturalmente preferem viver em grupo.

Enriquecimento Ambiental Físico

É recomendado adaptar o ambiente de modo que se aproxime ao máximo da natureza. Para isso, é interessante ter um espaço gramado ou com terra, algum abrigo simulando uma toca para servir como um refúgio em situações de medo (chuvas fortes, trovoadas, queimas de fogos de artifício). Também pode ser interessante mudar os móveis e objetos de lugar, além de inserir novos itens no ambiente de vez em quando para despertar curiosidade e estimular o animal a explorar o recinto. Podem ser caixas, brinquedos, objetos naturais como plantas (desde que não sejam tóxicas), tecidos, entre outros. Além do abrigo, é necessário que em algum local do recinto haja acesso à luz solar, pois os animais precisam de banhos de sol.

Enriquecimento Ambiental Sensorial

O estímulo sensorial é o principal de todos eles, e é muito útil quando o animal fica em lugares com poucos móveis, sem pessoas e sem barulho. Pode ser definido como o uso de estratégias para estimular os quatro sentidos dos cães: olfato, audição, visão e paladar. Para estimular o olfato, é indicado colocar ervas com aroma suave espalhadas pela casa. As opções ficam ao critério do tutor, mas a camomila, alecrim, lavanda e o orégano são ótimas escolhas. O sentido da audição pode ser estimulado através de sons de natureza, que podem ser reproduzidos em um rádio, celular ou televisão. Uma outra dica é incluir uma fonte de água corrente, pois além de oferecer água fresca (o ideal para os animais), emite um ruído agradável. Para estímulo do paladar, podemos lançar mão da alimentação interativa.

Alimentação ativa /interativa

Na natureza, os animais passam boa parte do tempo procurando comida. Sendo assim, o enriquecimento ambiental alimentar tem como objetivo oferecer o alimento de novas formas, dificultado o acesso e obrigando o animal a se ocupar procurando-os. Esse método é chamado também de alimentação interativa, ou ativa. Pode-se esconder o alimento pela casa, em locais pouco usuais para que o animal procure pelo olfato e tenha que fazer algo para acessá-los, como por exemplo abrir uma tampa, tirar um objeto de cima, etc.

Para oferecer uma alimentação que respeita a natureza e os instintos do cão, utilize o Plano Nutricional Farmina. Este Plano vai identificar as necessidades do seu cão e indicar uma dieta adequada para ele. Clique aqui para receber.

Enriquecimento Cognitivo

A alimentação interativa está inserida no enriquecimento cognitivo. A intenção desse tipo de enriquecimento é primeiramente ocupar o cão com atividades, e segundo estimular o desenvolvimento cognitivo, da memória e aprendizado. Na natureza os cães se deparam com situações adversas em que é preciso usar a sua inteligência para resolver. Para o enriquecimento cognitivo podemos utilizar o adestramento que vai ensinar tarefas e truques. Outra opção é trabalhar com brinquedos interativos, onde o animal precisa resolver uma questão para ganhar a recompensa. Esses brinquedos só permitem a saída da comida após algum movimento específico, veja dois exemplos:

Comedouro em formato de bola

O cão movimenta o brinquedo com o focinho, boca e patas para descobrir o que tem dentro. Conforme mexe na bolinha, caem grãos de ração ou petisco. A bola possui uma abertura com regulagem que permite facilitar ou dificultar o exercício de acordo com o desempenho do animal.

Quebra-cabeças

Esse brinquedo já tem um nível de dificuldade bem maior que o anterior. Aqui o cão pode deslizar as tampas azuis como focinho ou as patas, acessando a comida. Caso queria dificultar, o tutor pode travar as tampas, exigindo que o cão puxe as alças brancas para libera-las.

É preciso diferenciar os graus de dificuldade que cada brinquedo oferece, pois se você começar com um brinquedo que exige muito do seu pet, ele irá se frustrar rapidamente e dificilmente voltará a ter interesse nesse tipo de atividade. Portanto, comece pelos mais simples e vá aumentando a dificuldade aos poucos. Outro detalhe importante é sempre focar em 1 item de enriquecimento cognitivo, para toda atenção do pet ficar naquele “problema”. Não é recomendado oferecer vários brinquedos ao mesmo tempo.

Vale ressaltar que essas atividades com alimentos não devem substituir as refeições principais do cão. Portanto, fique atento a quantidade total que ele irá ingerir ao somar as refeições com as brincadeiras.

Faça você mesmo - dicas de brinquedos interativos

Com um pouco de criatividade, praticamente nenhum custo e pouca habilidade manual é possível criar elementos de enriquecimento ambiental para os cães, principalmente brinquedos. Separamos opções bem simples para você fazer:

Bola de meias congelada: Pegue aquele par de meias velhas e coloque uma dentro da outra da forma que fiquem no formato de uma bola. Molhe essa bola e coloque no freezer. Pronto, você terá um brinquedo diferente, uma espécie de bolinha dura de tecido que vai instigar o cão a morde-la conforme for descongelando e ficando macia. Indicado para ambientes externos e durante os meses mais quentes.

Nó de tecido com petisco dentro: Pegue um pedaço de tecido grosso, como sarja ou jeans e dê um nó firme. Dentro desse nó coloque 1 ou mais pedaços de petisco. O cão vai ter que desatar o nó para acessar a recompensa.

Garrafa pet com alimento: Aproveite aquela garrafa pet vazia, faça buracos que tenham tamanho suficiente para passar a ração à medida que a garrafa for movimentada. É simples e funciona muito bem.

Caixa de papelão com itens dentro: aqui, a ideia é esconder algum objeto ou alimento dentro de caixas de papelão. O importante é montar uma caixa que esteja bem fechada, utilizando fitas adesivas para isso. Coloque algum brinquedo novo que o cão já tenha sentido o cheiro, ou então ração/petiscos dentro. Após preparar tudo, coloque essa caixa em algum lugar de difícil acesso, como embaixo de uma cama, ou em algum lugar que ele tenha que saltar para pegar. No início é preciso mostrar para o cão onde está a caixa. Assim que ele se animar com a brincadeira, esconda em locais novos e deixe que ele encontre sozinho.

Esperamos ter ajudado você a oferecer atividades interativas que melhorem o bem-estar do seu pet. Vale lembrar que oferecer uma dieta de alta qualidade e que respeite a natureza do seu cão é importantíssimo também. A Farmina oferece uma gama de alimentos completos que contêm ingredientes nobres, proteínas de alto valor biológico, essências botânicas, frutas, fibras e antioxidantes. Mais de 90% das proteínas presentes nos produtos Farmina vêm de ingredientes de origem animal, o que condiz com as características alimentares dos animais carnívoros, como os cães. Clique aqui e utilize o Plano Nutricional Farmina para receber uma dieta personalizada para as necessidades do seu pet.