Categoria: Saúde e Bem-Estar

Capa de 'Papel da atividade física no controle da obesidade nos animais'

Papel da atividade física no controle da obesidade nos animais

Como vimos no texto anterior do blog, a obesidade pode trazer sérias consequências para a saúde do seu pet. Diabetes, problemas articulares, cardíacos e respiratórios estão entre os mais preocupantes. Podemos dizer que, de um modo geral, um cão ou gato obeso pode ser considerado um animal menos feliz. Sim, pois não é só uma questão de evitar doenças, é também de qualidade de vida geral. Um animal obeso se verá privado da sua energia e disposição habituais para lhe acompanhar nas atividades e brincadeiras do dia-a-dia.

As principais causas da obesidade são a má alimentação e a falta de exercícios físicos. O processo de emagrecimento do seu pet deve ser obrigatoriamente acompanhado por um Médico Veterinário, especialmente para a escolha de um plano nutricional adequado e do estabelecimento de um programa de exercícios físicos que não traga riscos para o seu animal. Fatores como a raça, o porte, o peso, a existência de doenças, entre outros devem ser levados em conta na hora de escolher o método adequado para cada animal, e só o acompanhamento do Médico Veterinário pode garantir isso.

Neste texto iremos ressaltar a importância de termos o exercício físico incorporado na sua rotina com o animal de companhia, e também abordar alguns pontos que devem ser levados em conta na criação deste hábito tão saudável para vocês dois.


Os benefícios da atividade física


A atividade física é benéfica para os cães e gatos por diversos motivos. Além de combater a obesidade, ela melhora o condicionamento cardiovascular e respiratório, fortalece ossos, articulações e músculos, e aumenta principalmente o bem-estar do animal.

Como os pets estão apresentando uma expectativa de vida cada vez maior, a adoção do hábito da atividade física regular também irá contribuir para que este animal envelheça com mais saúde e qualidade de vida, ajudando a evitar uma série de problemas que podem aparecer na velhice.

E, para aqueles que possuem animais estressados e/ou com problemas de comportamento, a atividade física é um ‘santo remédio’. Animais que passam a se exercitar com regularidade vão diminuir muito os sintomas de transtornos comportamentais, reduzir os hábitos de destruição de objetos e do ambiente. Ao gastarem sua energia nos exercícios, eles se tornam mais calmos, menos ansiosos, e assim, melhores companheiros. A socialização do pet também é muito favorecida pela prática regular de exercícios.


A importância dos passeios para o cão


Cães são animais que por natureza gostam de caminhar. Por isso eles sofrem tanto quando não oferecemos a eles a oportunidade de passear ou fazer outra atividade física para se exercitar. Sérios problemas comportamentais e até mesmo de saúde podem se originar dessa falta de exercícios, conforme já explicado acima.

Esta é uma necessidade muito arraigada nos cães. Seus ancestrais, os lobos, são conhecidos por terem hábitos migratórios, andando por muitos quilômetros na busca de novas áreas de caça ou seguindo suas presas. Os cães domésticos herdaram essa disposição e gosto pela caminhada. Está explicado porque seu amigo pula de alegria só de ver você pegar a guia e se dirigir para a porta de casa, não é?


A importância da atividade física para o gato


Aqui temos dois pontos a serem considerados:

1º: Os exercícios dos gatos são mais ‘solitários’ e menos interativos com os donos que os dos cães. Isso deve-se a própria personalidade mais independente destes animais. Não é comum, por exemplo, conseguirmos levar um gato para passear.

2 º: Gatos são caçadores e exploradores natos, com uma forte tendência territorialista. Esse hábito de fazer rondas e passeios em seu território, tão próprio do comportamento dos gatos, já é um fator importante para a manutenção de seu peso ideal, e do seu bem-estar. Na natureza os felinos são animais solitários e exploradores de grandes áreas, despendendo boa parte de seu período de atividade em busca de presas e defendendo seu território.

Quanto ao primeiro ponto, é muito simples. Sabe quando o gato sai correndo feito um doido pela casa, perseguindo um inseto, ou quando ele repentinamente ataca o seu pé? Pois é, isso é o instinto de caçador dele aparecendo dentro de casa, e não precisa ser coibido. O que devemos é estimular e participar quando eles demonstrarem interesse por estas atividades. E é muito importante atentar para o chamado enriquecimento ambiental. Prover a sua casa de brinquedos e instalações que estimulem esses comportamentos de caça, de escalada, de se esconder e de arranhar. Assim estaremos estimulando a atividade física de uma forma natural e altamente prazerosa para eles.

Já na questão do hábito dos passeios, como atualmente os gatos domiciliados não precisam predar para sobreviver, pois têm à disposição alimentação industrializada de alta qualidade, não é necessário estimular a saída do animal para caçar. Na verdade, sabemos que hoje em dia é muito perigoso deixar o gato livre, principalmente pelas ruas em centros urbanos, onde há o risco de atropelamentos, brigas, quedas e até mesmo de maus tratos. Por isso, a ‘criação indoor’ é tão sugerida atualmente, onde os gatos vivem bem dentro de casa, desde que seu ambiente seja preparado adequadamente.

 

Dicas para praticar atividade física com seu pet
     

Com cães, alguns cuidados são necessários. É importante prestar muita atenção ao comportamento do seu amigo durante os passeios. Ao contrário de nós, seres humanos, os cães não transpiram e regulam sua temperatura ‘ventilando’ mais rapidamente o ar dentro dos pulmões. É por isso que quando eles colocam a língua para fora e ficam muito ofegantes, eles estão te dando uma dica: ‘é hora de descansar’! E lembre-se: você está usando um calçado, ele não. Ou seja, pisos muito abrasivos ou muito quentes vão machucar e ferir as patinhas dele.

IMPORTANTE: Não se esqueça de levar água, um potinho para ofertá-la e os sacos plásticos para recolher as fezes.

Já com os gatinhos, a oferta de brinquedos e atividades de qualidade, conforme descrito acima, já possibilita que eles possam se exercitar. Cabe a nós estimulá-los e curtir essas “gatices”, que podem ser muito divertidas e relaxantes.