Categoria: Cães

Capa de 'O carboidrato para cães'

O carboidrato para cães

Um assunto que sempre gera questionamentos é o que fala sobre os carboidratos na dieta de cães. Se por um lado cães são animais carnívoros e nitidamente amam comer carne, por outro vemos que eles muitas vezes não dispensam alimentos ricos em carboidratos. O fato é que cães já vivem ao nosso lado há milênios, e, portanto, acabam por partilhar boa parte da nossa alimentação. Mas afinal, será que cães podem se alimentar como nós? Será que é saudável um animal carnívoro ingerir grandes quantidades de carboidrato? Veja em detalhes tudo o que você precisa saber sobre o consumo de carboidratos pelos cães

 

Cães devem ingerir carboidrato?

Inicialmente precisamos falar um pouquinho sobre o que é o carboidrato. Trata-se de uma molécula orgânica presente em grandes quantidades na maioria dos alimentos de origem vegetal. Nos vegetais existe o carboidrato estrutural, que são as fibras, e o carboidrato de reserva. O carboidrato de reserva é o macronutriente que fornece a energia, pois libera a glicose (açúcar) no sangue após a sua digestão. Dito isso, já entendemos que a função do carboidrato é de fornecer o “combustível” necessário para o funcionamento de todo o organismo, e isso também vale para os cães.

Porém, por serem carnívoros, cães têm uma grande diferença metabólica: a capacidade de gerar energia a partir de proteínas e gorduras. Os animais onívoros (inclusive humanos) têm grande dificuldade em nutrir-se adequadamente com baixas quantidades de carboidratos, e não podem viver com uma dieta sem esse nutriente por um período longo. São os carboidratos que mantêm a glicose no sangue em níveis suficientes e equilibrados para gerar energia nos onívoros. Sem a ingestão desse nutriente, dependemos da geração de energia a partir de proteínas e gorduras, que demandam um maior esforço digestivo e metabólico para serem aproveitadas. Isso gera um consumo das reservas energéticas (gordura corporal) e até das proteínas dos músculos. Já nos cães esse processo é diferente, e eles mantêm seus níveis de energia adequados mesmo com baixos índices de carboidratos na dieta.

Mas então cães devem abolir o carboidrato da dieta? Não necessariamente. O carboidrato não deixa de ser um macronutriente, e pode ser aproveitado por carnívoros. Cães selvagens e até lobos comem pequenas porções de carboidratos naturalmente ao ingerirem alguns vegetais, além do conteúdo gástrico de suas presas (que são em onívoras ou herbívoras). Além disso, a longa domesticação dos cães trouxe uma adaptação desses animais. Essa adaptação tornou o cão hábil a digerir o amido, que é uma das fontes de carboidrato presente nos vegetais. É justamente por essa capacidade de se adaptar que os cães conseguiram se manter ao nosso lado até hoje. Portanto, o carboidrato é um nutriente saudável para cães desde que presente em quantidades baixas a moderadas e na proporção correta em uma dieta equilibrada com proteínas e gorduras.

 

Quais são as melhores opções de carboidrato

Existem opções saudáveis de carboidratos para cães. Para saber se determinado alimento é uma boa opção devemos analisar o índice glicêmico, a digestibilidade e a presença de outros nutrientes.

O índice glicêmico é um fator que determina a velocidade de absorção dos carboidratos. Esse índice classifica o carboidrato pelo tempo que ele leva para virar glicose (açúcar) no sangue. Alimentos com alto índice glicêmico geram, portanto, uma descarga grande de insulina pelo pâncreas imediatamente. A insulina é o hormônio que transporta esse açúcar do sangue para dentro das células, que o utilizarão como energia. A energia excedente será transformada em gordura corporal.

Os alimentos com baixo índice glicêmico causam uma liberação mais gradual da glicose no sangue. Assim, haverá mais tempo para as células consumirem essa energia, diminuindo as chances delas a estocarem como forma de gordura corporal. Além disso, por consequência haverá também uma liberação mais lenta de insulina. Isso ajuda a manter o cão saciado por mais tempo, já que a queda dessa glicose no sangue não é abrupta, porque a insulina está sendo liberada mais lentamente. Entre os alimentos com baixo índice glicêmico podemos citar: aveia, cevada, cenoura, abóbora, quinoa, fibras vegetais em geral, e algumas frutas como a maçã. Vale ressaltar que uma refeição pode ter seu índice glicêmico reduzido ao acrescentar proteínas e gorduras, que diminuem o tempo de digestão e absorção dos carboidratos.

 

A abóbora

A abóbora tem sido usada como uma ótima fonte de carboidrato para os cães.  Ela é considerada de baixo índice glicêmico pelo fato de não possuir amido em sua composição. Essa característica a torna um alimento de baixa caloria também. A abóbora possui fibras solúveis, benéficas para a saúde intestinal e que também ajudam a reduzir o índice glicêmico e aumentam a sensação de saciedade. Além desses benefícios bem interessantes para cães, a abóbora possui altas quantidades de betacaroteno, um dos antioxidantes mais potentes da natureza.  Os antioxidantes são substâncias que ajudam a manter o cão saudável ao neutralizar os radicais livres. Os radicais livres são produzidos pelo próprio metabolismo, porém quando se apresentam em excesso são deletérios à saúde, causando morte das células e prejudicando as funções do organismo. A abóbora também possui sais minerais como zinco, fósforo, ferro e potássio.

           

Vantagens de alimentos com poucos grãos         

Muitas pessoas questionam também sobre os grãos na alimentação de cães. Eles podem ser utilizados como fonte de carboidratos, fibras e até proteínas desde que devidamente processados para a digestão dos cães. Animais carnívoros têm grande dificuldade de digerir alimentos vegetais sem o devido preparo prévio. Entretanto, cães podem ter uma alimentação muito saudável com pouco ou nenhum grão em sua dieta.

Os grãos são ricos em amido, que é um carboidrato que demanda um trabalho intenso do pâncreas para ser digerido. Grandes quantidades de amido são prejudiciais para cães porque podem sobrecarregar o sistema digestivo e aumentar os níveis de açúcar no sangue, predispondo a diabetes e obesidade.

O carboidrato ideal para os cães é, portanto, aquele de fácil digestão, melhor aproveitado pelo seu organismo e rico em nutrientes como vitaminas, antioxidantes e minerais. Felizmente existem opções muito boas na natureza, e essas opções são utilizadas na composição dos produtos de alta qualidade. A Farmina não usa grãos nas linhas N&D Grain Free e N&D Grain Free Pumpkin, e usa somente cerais nobres em sua linha N&D Ancestral Grain.