Categoria: Cães

Capa de 'Necessidades alimentares dos filhotes'

Necessidades alimentares dos filhotes

Uma das tarefas mais difíceis de quem gosta de animais é resistir à beleza de um filhotinho. Quem nunca quis pegar um e levar pra casa? Filhotes de cães e de gatos são apaixonantes e divertidos, por isso as chances de você acabar cuidando de um são enormes. Porém, sempre é bom lembrar que criar um animal recém-nascido ou recém-desmamado não é uma tarefa simples, e devemos observar uma série de características e cuidados que eles demandam. No artigo de hoje você vai saber tudo o que é necessário a respeito das necessidades alimentares de cães e gatos filhotes.


Cuidados básicos com alimentação do filhote

O primeiro passo é saber qual a idade do filhote que está sob seus cuidados. Sempre que possível, o ideal é deixar o cãozinho mamar naturalmente na sua mãe até 45 dias de vida, entretanto sabemos que muitas vezes acabamos recebendo um animal mais novo que isso, principalmente em casos de adoção ou quando a mãe acaba falecendo após o parto.

- Alimentando um animal órfão recém-nascido: essa fase é crítica para o animal, e por isso recomendamos a orientação de um Médico Veterinário logo após o resgate do filhote. Nessa idade o animal é extremamente delicado, sendo obrigatório tomar muitos cuidados além do fornecimento de uma alimentação adequada.

Para alimenta-lo será necessário preparar um substituto do leite materno, que deve ser administrado pelo menos até a 4ª semana de vida através de uma mamadeira, conta-gotas ou seringa sem agulha. Para conseguir esse leite substituto você tem a opção de compra-lo pronto em pet-shops, ou pegar uma receita caseira com o Médico Veterinário de sua confiança. Evite dar leite de vaca puro, utilizando ele somente em último caso.  Importante ressaltar que ao usar a mamadeira, o filhote deve estar em pé, pois ao tomar deitado corre-se um grande risco do animal engasgar. A temperatura do leite também é importante e deve ser de 37 graus. Veja abaixo um exemplo de frequência e dose diária de leite para alimentação de filhotes:

Este exemplo acima é uma sugestão baseada na experiência de veterinários, e representa um caso inespecífico. Recomendamos que consulte sempre seu Médico Veterinário de confiança para adequar o manejo alimentar do recém-nascido lactante conforme cada caso. 

A partir de 3 semanas de idade comece a introduzir gradualmente a papinha de desmame, que pode ser comprada também em pet shops, ou você pode utilizar ração de filhotes amolecida com água morna.

- Alimentando um animal após 4 semanas de vida: nessa idade já fica mais simples a alimentação do filhote. A principal regra é: ofereça apenas ração de filhotes - alimento produzido pela indústria de acordo com as necessidades nutricionais de animais em crescimento, com formulação baseada em décadas de estudos sobre a fisiologia e a nutrição de cães e gatos.

A frequência de alimentação também é muito importante nessa fase, já que os filhotes têm alta demanda energética e um metabolismo acelerado que rapidamente “queima” as calorias que ingerem. Devemos oferecer a quantidade de alimento indicada na embalagem da ração dividida em 3 a 4 porções ao dia.


As necessidades nutricionais do filhote

Cães e gatos são animais carnívoros, sendo indispensável em sua dieta fontes de proteína e gordura animal de alta qualidade. Já os carboidratos podem ser de origem vegetal desde que adequadamente preparados para a digestão por carnívoros (processos que os fabricantes de ração fazem nas matérias-primas para deixa-las com alta digestibilidade e aproveitamento). O cão doméstico tem hoje uma certa adaptação para a digestão de vegetais, porém não quer dizer que ele deva ter uma dieta muito rica em alimentos dessa natureza. Já o gato é bem menos adaptado a ingestão de carboidratos e alimentos de origem vegetal, pois foi domesticado há menos tempo que o cão,  por isso sua dieta necessita de um aporte maior de proteína e menor de carboidratos e produtos de origem vegetal.

Cães e gatos filhotes devem ser alimentados apenas com ração específica para esta faixa etária por várias particularidades nutricionais que os animais em crescimento apresentam:

- Demanda energética: pelo fato do organismo estar em rápido crescimento, sua demanda energética é maior no filhote do que no animal adulto. Por isso a ração de filhotes é mais calórica, isto é, é capaz de produzir mais energia para o animal a partir da alimentação. Consequentemente, a alimentação de filhotes deve ter uma maior porcentagem de gordura, que é uma fonte importantíssima de energia para animais carnívoros.

- Demanda proteica: pelo mesmo motivo da demanda energética - uma alta taxa de crescimento - a necessidade de proteína também é maior, cerca de 30-35% a mais que para o adulto. Os aminoácidos encontrados nas proteínas de origem animal são indispensáveis para a construção dos tecidos e órgãos do animal em crescimento.

- Cálcio e fósforo: esses são considerados minerais de extrema importância durante toda a vida do animal, mas durante a fase inicial eles são ainda mais decisivos para um crescimento saudável. O cálcio deve estar presente em quantidade suficiente para o desenvolvimento de ossos e dentes. Caso o cálcio não seja suficiente, o corpo vai retira-lo dos ossos para utiliza-lo nas funções vitais em que esse mineral é requerido, como em contrações musculares (inclusive as do coração). Para o metabolismo utilizar o cálcio adequadamente, o fósforo deve estar presente em uma proporção precisa. Apenas alimentos formulados por Médicos Veterinários nutricionistas e pela indústria de alimentação animal contém a correta proporção de cálcio/fósforo. Vale lembrar que se seu filhote se alimenta adequadamente de ração industrializada ele não deve ingerir cálcio através de suplementos, salvo sob recomendação veterinária.

- Vitaminas e outros minerais: além dos nutrientes expostos acima, existem muitos outros que devem estar corretamente balanceados na alimentação de filhotes. É praticamente impossível garantir, em uma alimentação feita sem a presença do Médico Veterinário, que todos esses nutrientes estejam presentes em uma proporção adequada.


Particularidades nutricionais dos gatos

Os felinos são animais muito diferentes dos cães, sendo considerados carnívoros estritos. Os gatos desenvolveram estratégias específicas para metabolizar proteínas, aminoácidos, gorduras e vitaminas. A necessidade mínima de proteína de um gato em crescimento é aproximadamente 50% maior daquela de um cão da mesma idade.

O gato filhote tem necessidades de vitaminas e minerais específicas, como por exemplo, no caso da vitamina A e da vitamina D que devem estar presentes em quantidade aproximadamente três vezes maior que para um felino adulto. Outro nutriente fundamental apenas para gatos é a taurina, já que eles não conseguem sintetiza-la e necessitam ingeri-la durante a vida toda.


Conclusão

            Como você pode perceber, oferecer uma boa alimentação para os filhotes requer cuidados. Sempre consulte seu Médico Veterinário de confiança! Ele poderá aconselha-lo (a) corretamente, principalmente nos casos mais delicados, como animais recém-nascidos. Prefira produtos testados e aprovados pelo mercado, e utilize sempre alimentos específicos para cada fase da vida dos nossos “melhores amigos”.

 

Fontes consultadas:

DOMINGOS, T.C.S; ROCHA, A.A; CUNHA, I.C.N. Cuidados básicos com a gestante e o neonato canino e felino: revisão de literatura. Jornal Brasileiro de Ciência Animal, 2008.

FEDIAF - Fédération européenne de l’industrie des aliments pour animaux familiers. The European Pet Food Industry Federation. Nutritional Guidelines For Complete and Complementary Pet Food for Cats and Dogs

PRATS, A. Período neonatal. Interbook editora, São Caetano do Sul – SP, 2005.