Categoria: Saúde e Bem-Estar

Capa de 'Mantendo a saúde do trato urinário de gatos'

Mantendo a saúde do trato urinário de gatos

Os gatos são animais que por diversos motivos, alguns conhecidos, outros não, apresentam maior propensão a problemas no trato urinário que outras espécies. O chamado trato urinário compreende os órgãos e estruturas responsáveis pelo armazenamento e eliminação da urina. Veja no artigo a seguir como essas doenças se manifestam, quais são as causas conhecidas e entenda como a dieta é uma aliada na prevenção desses problemas.
 

Quais são as principais doenças do trato urinário

O trato urinário inferior compreende basicamente a bexiga e a uretra. A bexiga é o órgão que armazena a urina produzida pelos rins, e a uretra é o canal que leva a urina da bexiga até o final dos órgãos genitais. O complexo de sintomas relacionados à inflamação, infecção ou obstrução desses órgãos é chamado de Doença do Trato Urinário Inferior (DTUI) ou Síndrome Urológica Felina (SUF).

Os sintomas que o gato apresenta são relacionados principalmente à micção, como urinar em pequenas quantidades e maior número de vezes (chamada de polaquiúria), dor ou dificuldade ao urinar e sangue na urina (hematúria). O gato acometido costuma chorar ou gemer na hora da micção, lamber constantemente a região genital e pode ainda urinar em locais inapropriados, fora da caixinha de areia. Como consequência de todo esse desconforto, o felino pode perder o apetite, ficar apático e arredio até com seus tutores.
 

As causas

Existe uma série de causas para as diferentes manifestações urinárias que os gatos podem apresentar:

- A presença de cálculos (pedras) na bexiga, que é a chamada urolitíase. Esses cálculos podem se deslocar pela uretra, obstruindo total ou parcialmente a mesma, gerando uma inflamação como consequência, e às vezes infecção urinária. Os gatos têm uma predisposição em formar esses cálculos devido sua natureza, pois são adaptados a viver com pouca ingestão de água. O sistema renal dos felinos possui grande capacidade de concentrar a urina, acumulando minerais. Esses minerais em excesso participam da formação dos cálculos.

A teoria mais aceita diz que o ancestral comum do gato doméstico era um animal selvagem que se desenvolveu em regiões áridas como o Oriente Médio e norte da África. Ao que tudo indica a domesticação também se iniciou nessas regiões, como no Egito, por exemplo.

- Formação de tumores na bexiga, próstata ou uretra que causam o mesmo problema de obstrução total ou parcial do fluxo urinário.

- Inflamações da bexiga sem causa conhecida, a chamada Cistite Idiopática Felina.

- Traumas, má formação congênita e infecções virais ou bacterianas.

Outras doenças também causam problemas urinários, como insuficiência renal crônica (comum em gatos mais velhos), diabetes e hipertireoidismo são causas frequentes.  

Tudo indica que o estresse está também relacionado a essas alterações, sendo um fator predisponente. Os felinos se estressam com facilidade, também devido sua natureza. Seus hábitos envolvem um apego grande à rotina e o desejo de calma e privacidade.

Diferentemente de cães, os felinos têm dificuldade em se adaptar às mudanças. Qualquer estímulo desagradável pode iniciar um estado de estresse no animal, e isso se reflete no sistema neurológico, imunológico e endócrino, desencadeando processos inflamatórios que atingem o sistema urinário. Muitos gatos com doença urinária apresentam problemas de comportamento.
 

Porque a dieta é importante

A dieta do felino pode ter um importante papel na formação dos cálculos urinários e também na sua prevenção.

Alterações na dieta podem influenciar a concentração urinária, o volume, pH e constituintes dos cálculos como o magnésio e o cálcio, favorecendo o surgimento do problema. Dietas desequilibradas, ricas em cereais e vegetais, com excesso de minerais ou outros micronutrientes podem predispor o gato à formação dos cálculos.

Uma dieta apropriada pode ajudar a evitar o problema. Segundo estudos, animais alimentados basicamente com dietas ricas em proteínas de origem animal tendem a produzir urina ácida. A dieta natural do felino tende a acidificar levemente a urina, o que inibe a formação dos cálculos urinários mais comuns.

A obesidade é outro fator de risco para a doença do trato urinário em gatos, por isso uma dieta equilibrada que mantenha o gato no seu peso ideal também ajuda a prevenir esses problemas. Além disso, gatos que comem além do necessário acabam aumentando a ingestão de nutrientes que, quando em excesso, serão excretados na urina, aumentando as chances de problemas.
 

Dicas valiosas para evitar prevenir problemas urinários

Separamos algumas dicas bem úteis e que vão ajudar na prevenção da maioria dos problemas urinários dos gatos:

- Estimular a ingestão de água: ao ingerir mais água, o gato vai aumentar o volume de urina, diminuindo a concentração de substâncias formadoras de cálculos. A dica é manter água sempre fresca para seu gato.  Caso você use vasilhas, deixe mais de uma em diferentes locais da casa, troque diariamente a água. Prefira vasilhas rasas e com boca larga, pois eles não gostam de bater os bigodes nas bordas. Os felinos preferem beber água que esteja em movimento, é notável o aumento da ingestão hídrica quando esse sistema está disponível para eles. Se puder, aposte em fontes automáticas que estão a venda na maioria dos pet shops.

- Ofereça alimentação úmida: procure adicionar na dieta do seu bichano o alimento úmido, que contém uma grande quantidade de água em sua composição. Isso vai contribuir também no aumento do volume urinário, e consequentemente, da frequência de micção, reduzindo as chances da formação de cálculos na bexiga.

- Evite a obesidade: gatos obesos e sedentários são mais propensos a desenvolver doenças do trato urinário. Verifique a quantidade de alimento oferecido ao seu gato para que ele não ingira mais do que necessita. Através do enriquecimento ambiental é possível estimular a atividade física do bichano, aumentando o gasto calórico e favorecendo a manutenção do peso ideal.

- Cuide da caixinha de areia: os gatos são muito higiênicos, e a caixinha de areia (ou liteira) estando suja ou fora de lugar já é suficiente para eles deixarem de usá-la, segurando a urina demasiadamente. Mantenha, se possível, sempre uma caixa de areia a mais por número de gatos na casa. Se tiver dois gatos, utilize três liteiras.

- Estimule seu felino: só porque o gato fica aparentemente bem sozinho em algum canto da casa não significa que ele esteja feliz. Separe um tempo do seu dia para interagir com ele. Estimule as brincadeiras e faça um enriquecimento ambiental se puder. Mantenha o ambiente sempre calmo e evite situações que causem desconforto ao animal.

- Oferecer o alimento apropriado: existem algumas opções de alimento completo para gatos que levam em conta a questão urinária, com as características que citamos neste artigo, ajudando a prevenir as doenças do trato urinário.
 

Referências

COSTA, F.V.A. Feline lower urinary tract disease study contribution – Literature Review. Medvep - Revista Científica de Medicina Veterinária. v.7, n.23, p.448-463 2009.      

FINKE, M.D.; LITZENBERGER, B.A. Effect of food intake on urine pH in cats. Journal of Small Animal Practice. v.32, p.261-265, 1992.

RECHE Jr, A. HAGIWARA, M.K. MAMIZUKA, E. Clinical study of lower urinary tract disease of domestic cats of São Paulo. Braz. Journal. veterinary. Research. anim. Sci., São Paulo, v. 35, n. 2, p. 69-74, 1998.

SKOCH, E.R. et al. Influence of diet on urine pH and the Feline urological syndrome. Journal of Small Animal Practice v.32, p.413-419, 1991.