Categoria: Saúde e Bem-Estar

Capa de 'Cuidados especiais com cadelas e gatas'

Cuidados especiais com cadelas e gatas

Até então, não tínhamos preparado um texto para falar especificamente sobre cadelas e gatas. Escrevemos este artigo para ajudar todos que têm dúvidas sobre assuntos relacionados a esse assunto, como cio, gestação e castração. Veja a seguir quais são os cuidados e as particularidades das fêmeas.

Período do cio

O cio é uma das fases do ciclo reprodutivo das fêmeas que consiste em um conjunto de mudanças físicas, hormonais e comportamentais direcionadas a reprodução. É somente nesse período que a fêmea fica fértil e aceita a cobertura do macho para a procriação.

O que é o ciclo reprodutivo?

O ciclo reprodutivo, também conhecido como ciclo estral, é o período caracterizado pelas mudanças hormonais que acontecem no útero e nos ovários no intervalo entre uma ovulação e outra. Esse ciclo está dividido em quatro ou cinco fases distintas, sendo elas o Proestro, Estro, Interestro, Diestro e Anestro. Cada fase possui um tempo de duração estimado epode variar de acordo com a particularidade de cada animal. Alguns fatores como a raça, idade, manejo nutricional e ambiental são determinantes para explicar essa variação.

Ciclo reprodutivo das cadelas

As cadelas geralmente dão início ao primeiro cio a partir dos seis meses de idade. Não existe uma idade exata para atingir a maturidade sexual, sendo que algumas fêmeas podem demorar até mais de um ano para ovular pela primeira vez. Por apresentarem apenas um cio por ciclo reprodutivo, são consideradas monoéstricas.

Essa nomenclatura se refere a única fase de estro (cio) durante todo o ciclo estral. Outra característica reprodutiva relevante é de não ter comportamento estacional, ou seja, não dependem de uma época específica do ano para se reproduzir. Dessa forma, é possível que as fêmeas tenham 2 ou até 3 cios por ano, dependendo do tempo de duração de cada fase dentro do ciclo estral. Conforme dissemos acima, o ciclo reprodutivo das cadelas é dividido em etapas:

Proestro: essa é a fase inicial de todo ciclo, pois é o momento em que o organismo começa a se preparar para a ovulação. Durante esse período, as fêmeas não estão férteis, mas começam a produzir em grande quantidade um hormônio conhecido como estrógeno. Esse hormônio estimula diversas alterações no trato reprodutivo, sendo as mais visíveis: edemaciação (inchaço) da vagina e da vulva (parte externa da vagina), secreção com sangue e produção acentuada de feromônios (odores liberados pelas cadelas para atrair os machos). A secreção de sangue vaginal é um forte indicativo para identificar essa fase, porém é importante dizer que nem sempre é possível observar esse tipo de corrimento. É fundamental destacar que ao fim do Proestro as fêmeas ainda não aceitam os machos de fato, mas começam a tolerar a sua presença por perto. O tempo de duração é variável, mas normalmente estende por 3 a 21 dias.

Estro: essa etapa é caracterizada por ser o período fértil das fêmeas (cio). Diferentemente da fase anterior, não é mais possível notar sangramento vaginal. Entretanto, mudanças comportamentais sugerem o início da ovulação. É comum que as cadelas fiquem mais afetivas, demonstrem sinais de agitação e aumentem a frequência de micção (ato de urinar) na tentativa de espalhar os seus feromônios. Além disso, aquelas que possuem acesso à rua, normalmente costumam passar mais tempo fora do que o habitual na investida de encontrar um possível reprodutor. As fêmeas ficam receptivas, permitindo a cobertura (cópula) sem demonstrar resistência. Essa fase dura cerca de 9 dias.

Diestro: é o período seguinte ao cio, definido pela volta gradual ao comportamento calmo das cadelas e pela não aceitação dos machos. Esse período pode durar de 60 a 100 dias, variando de acordo com cada organismo.

Anestro: para finalizar o ciclo estral, as fêmeas entram nessa fase de plena inatividade sexual. Esse período é destinado à recuperação hormonal e a preparação dos órgãos reprodutivos para o início de um novo ciclo. Por se tratar de uma regeneração, o anestro é a fase mais longa, podendo durar de 3 até 10 meses.

Ciclo reprodutivo das gatas

O ciclo reprodutivo dos felinos possui algumas diferenças quando comparado ao ciclo das cadelas. As gatas são poliéstricas, pois apresentam mais de um cio no mesmo ciclo estral, e são estacionais por dependerem de certas estações do ano para estar em condições de se reproduzir. Ou seja, as gatas podem entrar no cio várias vezes no ano. Por precisarem de maior período de luz, os cios geralmente acontecem nos meses mais quentes, quando os dias são mais longos. Assim como as cadelas, o primeiro cio pode acontecer perto dos seis meses de vida. Já a ovulação precisa de um estímulo provocado pela cópula para liberar os óvulos destinados à fecundação. No caso dos cães, a ovulação é espontânea, dependendo exclusivamente da fase reprodutiva que se encontra (estro). Os felinos apresentam um ciclo estral bem mais curto quando comparado às cadelas, principalmente em regiões tropicais ou subtropicais. 

Proestro: nessa fase inicial, é possível observar alterações comportamentais, como esfregar a cabeça e corpo com intensidade nos objetos, vocalização frequente (miados) e lordose (ato de curvar a coluna espinhal). Nesse momento as gatas ainda não aceitam a presença de machos para cobertura e a duração estimada é de dois dias.

Estro: essa etapa é definida pela aceitação dos machos para a cópula. Alguns sinais também são indicativos, a exemplo da exposição vaginal, vocalização frequente (miados altos e insistentes), rastejamento e agitação. A duração desse período é de aproximadamente 5 a 7 dias.

Interestro: é o momento em que o animal estabelece um intervalo curto entre os estros, ficando inativo sexualmente por 6 a 10 dias caso não haja o acasalamento. Após o interestro, a gata irá entrar no cio novamente.

Diestro: ocorre após o cio onde houve ovulação (cobertura do macho), mas por algum motivo a gata não ficou prenha, o que causa a chamada gravidez psicológica.

Anestro: fase em que a estação do ano não é favorável para a reprodução. Geralmente as fêmeas ficam por um longo período sem atividade sexual, podendo durar até 90 dias. A duração do anestro vai depender da quantidade diária de horas de sol, ou seja, países frios irão induzir a um anestro mais longo.

Fêmea gestante - cuidados e orientações

Os cuidados necessários e as características da gravidez de gatas e cadelas são praticamente os mesmos, por isso, as informações a seguir valem para os dois casos.

Duração: ao tempo de duração da gravidez de cadelas e gatas varia entre 58 e 67 dias. Mas geralmente, o nascimento dos filhotes se dá no 63º ao 66º dia após a fecundação. Entre o acasalamento e a fecundação pode demorar alguns dias, por isso o período do dia do acasalamento até o nascimento pode passar de 70 dias.

Primeiros sinais: até o início da terceira semana de gravidez, nenhum sinal poderá ser observado. A diminuição do apetite é um dos primeiros sinais. A fêmea poderá apresentar enjoo e vômitos esporádicos a partir dessa época. Na quarta semana já é possível observar os mamilos mais proeminentes e mais escuros ou rosados.

Mudanças mais visíveis: a partir da segunda metade da gestação é que a fêmea começará passar por mudanças bem visíveis, com aumento da circunferência abdominal, ganho progressivo de peso e mudanças de comportamento. As mamas começama apresentar leite a partir da 6ª semana.

Comportamento: isso varia muito de caso a caso, mas a maioria das fêmeas se tornam mais calmas e sedentárias durante a gravidez. Porém, algumas podem apresentar oscilações de humor, com alguma agressividade ou agitação eventualmente. Durante o terço final da gestação (a partir do 40º dia) a fêmea começar a procurar locais calmos para montar seu ninho, já prevendo o parto.

Cuidados necessários

- Visitas ao veterinário: é importante levar o animal para uma consulta veterinária caso suspeite-se de gravidez, ou mesmo que já se tenha a certeza. O médico veterinário poderá montar um protocolo de saúde que irá ajudar a manter a mãe e os filhotes saudáveis. Um tratamento com vermífugos, por exemplo, é necessário para garantir que os filhotes nasçam livres de vermes. O veterinário poderá também estar a sua disposição durante o parto, um momento delicado que muitas vezes requer um cuidado intensivo.

- Exercício: somente no terço final da gestação é importante não estimular a prática de exercícios físicos, principalmente os mais intensos. Caminhadas curtas em dias com temperatura amena estão liberados.

- Alimentação: neste tópico precisamos separar as cadelas das gatas.

Cadelas: até aproximadamente a 5ª ou 6ª semana, não é necessário mudar em nada a alimentação, considerando que a cadela estava em seu peso ideal no início da gravidez.  A partir daí, é necessário ir aumentando a quantidade de alimento oferecido a fim de suprir a maior demanda energética para o desenvolvimento dos filhotes. É necessário aumentar a quantidade de calorias, bem como aumentar proporcionalmente os macro e micronutrientes. Nesta fase da gravidez, os fetos já estarão comprimindo o estômago, e a cadela terá que se alimentar mais vezes ao dia em pequenas porções.  Por esse motivo é importante oferecer o melhor alimento possível, que possa ser digerido e aproveitado sem a necessidade de ingerir grandes quantidades. No total, a cadela em gestação deve ingerir de 30 a 50% mais alimento a partir da 6ª semana.

Quer oferecer uma nutrição de alta qualidade e específica para as necessidades do seu pet?  Um Plano Nutricional pode te ajudar na escolha, elaborando uma dieta específica, seja para uma fêmea gestante, um filhote ou um gato castrado. Clique aqui e solicite uma dieta personalizada.

Gatas: o aumento da oferta de alimento deve ser gradual e linear nas gatas. Diferentemente da cadela, a gata aproveita o início da gravidez para acumular energia que será utilizada na reta final de desenvolvimento dos filhotes. Então, o tutor deve oferecer todo dia um pouco a mais de alimento do que o habitual, desde que a gata não esteja com sobrepeso. Como em geral os gatos se alimentam à vontade, não é necessário fazer nada além de ficar de olho para não faltar ração no potinho.

Tanto gatas quanto cadelas devem ingerir o alimento balanceado completo desenvolvido para filhotes. Essa opção contém uma proporção maior de nutrientes fundamentais para a gestação, ajudando no desenvolvimento dos fetos e na produção de leite. Inclusive, durante todo o período de lactação essa alimentação deverá ser mantida para a fêmea. 

Parto: antes do final da gestação, prepare um local com a função de um ninho para a fêmea utilizar no parto.  Tem que ser um local calmo, abrigado de vento e chuva, e longe de outros animais e até das pessoas da casa. Coloque tecidos como colchas e toalhas para forrar o chão e deixar tudo mais aconchegante e isolado do frio. Durante o parto, não interfira no processo, a mãe é capaz de realizar os procedimentos. Em caso de dúvidas ou problemas durante o parto, fale com o veterinário.

Devo castrar? Vantagens e desvantagens

A castração de fêmeas é altamente recomendada quando não se deseja fazer a reprodução dos animais. Veja porquê:

- Previne uma série de doenças: o tumor mais comum em fêmeas é o de mama. A castração precoce reduz muito as chances do surgimento desse tipo de tumor. Cadelas e gatas castradas antes do primeiro cio terão uma redução de aproximadamente 90% nas chances de desenvolver a doença. Problemas no útero e ovários, como infecções e outros tumores terão seu risco reduzido a zero, já que esses órgãos serão retirados na castração.

- Crias indesejadas: a castração vai deixar a fêmea infértil, acabando com o problema de possíveis crias indesejáveis.

- Comportamento: as cadelas tendem a ficar mais calmas, e não passarão pelo incômodo do cio, que pode levar a problemas caso não haja a fecundação do óvulo liberado nesse processo, induzindo à chamada gravidez psicológica. As gatas ficarão mais caseiras, reduzindo as chances de fugas. Pode haver marcação de território com urina mesmo em fêmeas caso elas não sejam castradas.

Desvantagens

A primeira desvantagem é o risco inerente da cirurgia de castração. Todo procedimento invasivo como uma operação, associada com um protocolo anestésico tem riscos. Porém, atualmente esse risco é baixíssimo, e são raras as complicações decorrentes de castrações.

A segunda e última desvantagem é em relação a uma leve tendência ao ganho de peso que as gatas apresentam. Isso pode ser facilmente resolvido com uma dieta de qualidade e específica para felinos castrados.

Como oferecer a melhor nutrição 

Oferecer uma alimentação ideal, completa e que respeita as características das espécies canina e felina é o melhor a se fazer para suprir as necessidades de um animal, seja gestante ou não. Conte com o Plano Nutricional Farmina para isso, e receba um desconto exclusivo para aquisição dos produtos em uma loja mais próxima.