Categoria: Saúde e Bem-Estar

Capa de 'Cuidados com a pele e pelagem do seu cão'

Cuidados com a pele e pelagem do seu cão

Desde o início da nossa coluna semanal em dezembro nós temos falado sobre a saúde da pele e da pelagem dos cães. Explicamos em detalhes quais são os nutrientes essenciais para mantê-la saudável e bonita, falamos sobre problemas de comportamento que afetam a pele e no último artigo discorremos sobre dois alimentos que trazem diversos benefícios aos cães, inclusive ajudando a combater doenças: o coco e a cúrcuma. Para finalizar a coluna sobre esse assunto, vamos saber quais são os cuidados necessários para que seu cão esteja com a pele sempre saudável e a pelagem exuberante.
 

Hábitos prejudiciais

Agora que os cães vivem muito mais próximos a nós, ou seja, dentro de casa, na cama, frequentando shoppings e lojas, nós acabamos criando hábitos humanos que podem ser prejudiciais a eles. Temos que lembrar que os cães são completamente diferentes de nós, seja na anatomia, fisiologia digestiva, hábitos naturais e inclusive na pele.

Mesmo que não pareça, a pele dos cães é mais fina e menos resistente que a dos humanos. Mas existem alguns mecanismos de proteção e o principal deles é o pelo. A pelagem cria uma barreira física e na raiz do pelo há a secreção de substância sebácea (gordurosa) que forma uma camada que impede a perda de água ajudando a manter a pele e a pelagem hidratadas, maleáveis e flexíveis, além de equilibrar a flora bacteriana local (que também participa da defesa).

Banhos em excesso: O excesso de limpeza através de banhos muito frequentes retira essa camada de gordura, elimina bactérias benéficas e fragiliza a pele, predispondo às doenças.

Algumas pessoas acabam exagerando nos banhos na tentativa de tirar o cheiro característico dos cães, porém esquecem que esse odor é natural e importante para a comunicação e marcação de território deles. Quanto mais limpar a pele do cão, mais o corpo dele vai produzir sebo para tentar se defender dessa “agressão”, o que causa desequilíbrio na saúde da pele. A frequência ideal de banhos varia em relação ao ambiente que o cão vive, mas em geral recomenda-se banhos a cada 15 ou 30 dias.

Tosa inadequada: Outro erro comum é tosar cães que não precisam ou não podem ser tosados, ou tosar em excesso. Algumas raças têm pelagem dupla, e o chamado subpelo é a camada mais profunda. O subpelo não pode ser tosado, pois ele garante proteção térmica (inclusive no calor) e apresenta um crescimento muito lento.  Raças com essa pelagem são os de origem de locais frios, como o Chow Chow, Collie, Golden Retriever, Lulu da Pomerania, Akita, Husky, entre outros. As outras raças podem ser tosadas na máquina, porém não é recomendada uma tosa muito rente à pele, nem uma frequência maior que uma vez a cada 45 dias.
 

Mantendo parasitas longe

Os chamados ectoparasitas (parasitas externos) são a principal causa de doenças de pele em cães. São as pulgas, carrapatos, ácaros (sarnas) e piolhos. Eles causam coceira intensa, inflamação do local da picada, alergia e feridas que podem se complicar devido à infecção por fungos e bactérias.

O controle de ectoparasitas deve ser realizado em paralelo ao cuidado com o ambiente, uma vez que os parasitas adultos encontrados no seu cão serão apenas 5% do total deles na sua casa. Limpe sempre os locais onde o animal tem contato, como caminhas, casinhas, sofás, cantos de parede e vãos entre os móveis, pois são nesses lugares que os parasitas gostam de ficar.

Felizmente já existem medicamentos capazes de quebrar o ciclo desses ectoparasitas, atingindo-os também no ambiente. Use somente medicamentos recomendados pelo seu médico veterinário de confiança.
 

Influência da alimentação

A alimentação pode tanto prejudicar como ajudar na saúde da pele e da pelagem. Conforme explicamos em outro artigo, existe uma série de nutrientes essenciais. Entre eles estão o ômega 3, oriundo do óleo de peixe e os minerais zinco e selênio que estão presentes nos alimentos de origem animal, principalmente nas carnes.  Existem ainda as vitaminas A, E e B2 que podemos citar como importantes. Para que o efeito desses nutrientes seja efetivo, é necessária uma alimentação completa e balanceada, rica em antioxidantes que vão auxiliar o organismo a combater inflamações, e com características da alimentação natural dos carnívoros, ricas em produtos de origem animal.

Erros na alimentação dos cães podem causar graves problemas de pele, além de queda intensa de pelo. Hábitos como oferecer muitos petiscos, comida caseira, ou uma alimentação de baixa qualidade vão causar um desequilíbrio nutricional que pode afetar diversas funções do organismo. Alguns alimentos, em alguns animais, podem até desencadear alergias que irão causar alterações na pele.
 

Dicas de manejo para reduzir problemas de pele

Nutrição de qualidade: fique atento e só ofereça alimentos completos, produzidos por empresas de nutrição animal certificadas e indicados pelo seu médico veterinário de confiança.

Não ‘humanize’ o cão: não trate o cão como um “mini ser-humano”, evite o excesso de banhos, tosas e o uso de perfumes. Não ofereça alimentos que nós comemos, mesmo que pareçam saudáveis e naturais. Permita que o cão explore o ambiente, caminhe e entre em contato com outros cães e com a natureza (após o esquema de vacinação).

Escovação: independente da raça, crie o hábito de escovar seu cão regularmente. Raças de pelo longo e as com pelagem dupla devem ser escovados diariamente. Isso evita o aparecimento de nós e controla a queda de pelos. Alguns cães chegam a formar tantos nós que isso prejudica o bem-estar.

Evite o tédio do cão: alguns problemas de pele começam porque o cão fica entediado. Esse tédio aparece geralmente porque o animal tem pouco acesso à natureza, não passeia regularmente ou porque passa quase todo o tempo sozinho. Cães precisam passear, brincar e socializar com outros cães e com humanos, é da natureza deles.

Com esses cuidados você estará contribuindo para uma pele saudável e uma pelagem exuberante do seu pet. Fique ligado, pois nas próximas semanas iremos abordar assuntos referentes à saúde dos gatos. Caso tenha dúvidas ou sugestões, deixe um comentário abaixo.