Categoria: Cães

Capa de 'Conhecendo melhor seu cão'

Conhecendo melhor seu cão

Vivemos com os cães há muito tempo. Mesmo assim, muitas vezes nos deparamos com muitas perguntas que ainda não entendemos bem sobre esta espécie tão companheira. Entenda como o processo de domesticação e a natureza do próprio animal fizeram dos cães nossos melhores amigos.

O impacto da domesticação

O cão doméstico descende do lobo cinzento, um animal que ainda existe na vida selvagem. Os lobos se aproximaram dos seres humanos há muito tempo, em busca de restos de comida. Essa abordagem se mostrou interessante para os povos antigos, que viviam em pequenos grupos nômades e dependiam da caça para sobreviver. 

Assim, a domesticação começou em épocas em que a agricultura ainda não existia e o homem precisava caçar e coletar alimentos para sobreviver em pequenos grupos.

Com o tempo, o homem percebeu a utilidade dos lobos e começou a selecionar os mais acostumados à abordagem humana e mais dóceis. Entende-se que esse processo de domesticação começou aproximadamente 30 mil anos atrás. 

No entanto, a domesticação se intensificou mesmo quando o homem percebeu que os cães (já diferentes dos lobos) seriam animais perfeitos para companhia e trabalho, algo que aconteceu nos últimos 2 ou 3 mil anos com o desenvolvimento de raças.

O cão doméstico de hoje é o resultado de uma série de seleções feitas pelo homem para tornar esse animal capaz de viver inserido na rotina humana. Devemos ter em mente que os cães ainda são muito diferentes dos seres humanos, especialmente em seu comportamento, metabolismo e anatomia, mas também muito diferentes dos animais selvagens. 

Sempre cruzando indivíduos com habilidades para manter a companhia do homem, ou seja, mansos que aceitavam a abordagem e o domínio humano, desenvolvemos o "melhor amigo do homem". Além disso, criamos animais que foram adaptados a determinadas condições de trabalho. 

Tomemos o exemplo das raças de cães: Labrador e Golden Retriever: elas foram desenvolvidas para coletar presas (não caçar ativamente). Naquele momento, as pessoas perceberam que precisariam de um cão corajoso e gentil ao mesmo tempo, capaz de entrar em águas geladas e florestas para trazer presas mortas por armas de fogo e entregá-las ao seu líder sem resistir agressivamente. 

Portanto, um tipo específico de cão foi selecionado, dentre características altamente desejadas pelo homem, nessas circunstâncias especiais.

Entenda melhor o seu cão

Embora saibamos que o cão é um animal moldado pelas necessidades e desejos humanos, sempre devemos ter em mente que ele permanece, antes de tudo, um animal criado pela natureza. 

A inteligência do cão, seu caráter, seu poder de observação e capacidade de agir com uma aparente compreensão íntima não devem nos confundir. Mesmo que às vezes pareça, o cachorro não é um ser humano. Cabe a nós entendermos os deleites especiais e observar sua natureza.

Por exemplo: achamos engraçado quando um filhote é brincalhão, brincando com objetos maiores, pulando por todo o lado e pedindo atenção o tempo todo. Quando, no entanto, o mesmo cachorro cresce e começa a destruir os sapatos (já que agora tem dentes e força suficiente), pula em nossos convidados e chora quando você sai, ficamos chateados? Como o cachorro saberia que não deveria mais fazer essas coisas? Os cães são assim: aprendem por observação e tentam o tempo todo mostrar sua natureza, vendo até onde o líder permitirá. 

Os cães não têm mãos e dedos como nós, e usam a boca e o nariz como guias táteis, de modo que desejam morder absolutamente tudo! Cabe a nós primeiro entendermos essa característica e depois ensinar limites. 

Lembre-se, é através da interação com os animais mais velhos do grupo que os filhotes aprendem esses limites, então cabe a você desempenhar esse papel!

Os cães aprenderam a latir para se comunicar entre si e com o homem. Quando um cão late, ele só quer transmitir uma informação, não nos perturbar. Não brigue quando seu cão latir fora do tempo, apenas preste atenção para entender este comportamento. Isso evitará latidos insistentes e sem sentido (para nós), mas lembre-se sempre de que os cães usam essa estratégia naturalmente para se comunicar.

Quando os cães crescem, aprendem rapidamente que precisam de um ser humano para alimentá-los, portanto sempre pedem comida e, não importa o quê, desejam comer. 

Apesar de serem animais carnívoros, como já explicado em detalhes aqui no blog, eles se adaptaram para comer diferentes alimentos dos lobos - mas isso não significa que é saudável para eles comerem os alimentos que comemos.

Por que 'humanização' pode ser prejudicial

Os cães são animais incrivelmente colaborativos e participativos. Eles aprendem pela observação, e esse é um legado da natureza dos lobos e da maneira como o homem domesticou o cachorro. 

Portanto, os cães sempre tentarão ser como nós. Sim, eles são capazes de se acostumar com a nossa rotina, nossa comida e nossos hábitos - mas essa adaptação tem limites em termos do que é saudável. A partir de determinado ponto, começaremos a sacrificar a natureza e os desejos dos cães para nos satisfazer.

Exemplos de humanização prejudicial são: manter o cão sempre no colo, não o levar para passear ao ar livre, impedir o comportamento natural do cão, como, por exemplo, cheirar, brincar, caçar ou morder objetos (para isso existem brinquedos adequados) e alimentando-o com alimentos não adequados para sua dieta. 

Alimentos desenvolvidos exclusivamente para seres humanos, como pizza, hambúrguer, sorvete, pão, entre outros, podem até ser deliciosos para o seu cão ou gato, mas terão consequências no seu bem-estar, como a obesidade. Para evitar a obesidade, entre em contato com nossa equipe e solicite suporte nutricional clicando aqui. Cuidar do seu animal de estimação também significa cuidar de sua nutrição.

Dicas sobre treinamento e convívio

Para ajudar na adaptação do seu cão a viver com você e mantê-lo sempre obediente e quieto, algumas dicas básicas de treinamento podem ajudar. Veja nossas sugestões para algumas situações que costumam ser problemáticas na vida cotidiana.

  • Destruição de objetos: hoje em dia os cães passam muito tempo sozinhos e sem ter o que fazer e logo ficam entediados e procuram objetos para mastigar. Primeiro, não deixe ao seu alcance objetos pessoais e perigosos; e uso de brinquedos para cães o máximo que puder.                                                                          Ao dar a ele esses brinquedos, participe ativamente dos jogos. No caso de encontrá-lo mordendo um utensílio, bata firmemente no objeto com dobra um jornal dobrado com a empresa "não!".

 

  • Boas maneiras à mesa: não dê nada durante as refeições. Esse ensino deve começar desde filhote. Não ofereça comida ao seu cão, ou ele aprenderá rapidamente várias maneiras de pedir e obter comida.              Ao ceder uma única vez, ele entenderá naturalmente que tudo o que você come também faz parte da dieta deles. Isso pode acabar deixando seu cão obeso e com um grau de ansiedade acima do normal o tempo todo, enquanto espera por comida.

Truques básicos

  • Sente-se: coloque o lanche acima da cabeça do cachorro, atrás do nariz, para que ele levante a cabeça para alcançá-lo. Movendo o lanche cada vez mais para trás, o cão se senta. Use a palavra de comando, para que ele a associe à sua resposta. Treine várias vezes, até que ele consiga, e depois o recompense com o lanche.
  • Deite-se: coloque um lanche na mão, mostre o cachorro e depois feche a mão, deixando apenas um pequeno pedaço para fora. Coloque a mão no fluxo, e, pelo cheiro, o cão tentará pegar, até que ele finalmente se deite. Neste momento, use a palavra de comando.

Essas são apenas algumas dicas para facilitar a rotina com seu melhor amigo. Esperamos ter ajudado a tornar a vida com seu cão mais fácil e agradável para os dois. Aprender sobre a história, comportamento e evolução dos cães é muito importante para nós, de modo a interagir com eles de maneira eficaz e positiva!

Peça agora o suporte nutricional personalizado para seu animal de estimação aqui e saiba como melhorar mais a alimentação do seu amigo de quatro patas.