Categoria: Dicas

Capa de 'Como passar um Carnaval tranquilo com o seu pet'

Como passar um Carnaval tranquilo com o seu pet

O Carnaval é a comemoração mais longa que temos no Brasil. De norte a sul, muitas cidades têm programações especiais, com os bloquinhos de rua, shows, festas e outras folias que podem tomar uma semana. Muitos gostam de curtir esses eventos e pular Carnaval, e outros aproveitam o feriado prolongado para viajar. Quem tem um pet precisa se atentar à programação para que tudo corra bem, sem riscos para a integridade física do animal.  Veja a seguir quais são os cuidados necessários, e confira dicas importantes para momentos agradáveis ao lado do seu cão ou gato durante o Carnaval.

Cuidados durante a folia

Primeiramente, há de se analisar se vai levar o pet ou não para a folia. Normalmente, não é recomendado. Se for um gato, nem pensar, se for um cão, somente se os riscos abaixo puderem ser evitados:

- Aglomerações: O animal pode ficar muito estressado em uma aglomeração. A falta de espaço e o excesso de pessoas podem causar acidentes, como pisões e até queda de alguém sobre o cão. No meio da multidão, as pessoas não conseguem ver o cachorro que estará abaixo da linha de visão.

- Calor: A hipertermia pode ocorrer nos cães durante a folia, pois o Carnaval ocorre no verão brasileiro, geralmente debaixo de sol a pino. Cães são mais sensíveis às altas temperaturas que nós.

- Ruídos intensos: No meio da folia, é comum o estouro de fogos e outros ruídos muito fortes. Importante estar atento a isso, pois um estampido só já é capaz de assustar o animal, que pode tentar fugir sem direção.  Os pets não são capazes de compreender se um forte ruído é ou não uma ameaça verdadeira, e automaticamente vão sentir algum grau de medo.

Para quem quer curtir um bloquinho com seu pet, recomendamos blocos de carnaval feitos especialmente para os animais. Esses eventos geralmente levam em consideração as características dos pets, sendo uma opção muito mais segura. Procure se informar se na sua cidade há essa opção, fique atento à portais de notícias locais, bem como pesquise na internet para se certificar das datas e horários. Depois de escolhido o bloquinho, atente-se aos cuidados abaixo:

- Identificação: essa dica é importantíssima, pois identificar o pet é algo necessário para todos, independentemente do carnaval. Não é raro vermos casos de animais que fogem de suas casas, e um identificador que tenha os dados do tutor vai facilitar muito encontrar o animal. Existe a tradicional medalhinha, onde o tutor grava os dados de contato dele, bem como o nome do pet.  Uma maneira mais segura ainda é usar um microchip inserido sob a pele do animal. No microchip é possível colocar o cadastro completo dos tutores, como nomes, telefones, endereço e e-mail. A colocação do microchip deve ser feito por um médico veterinário que vai usar uma seringa especial para implantar. Vale ressaltar que uma cápsula de vidro biocompatível envolve o chip, evitando o aparecimento de alergias ou reações. A vantagem é que uma vez implantado, nunca o microchip será perdido. A desvantagem é que somente alguém com um leitor (presente em clínicas veterinárias) pode verificar de quem é o animal ao encontrá-lo. Por isso, a recomendação é usar os dois métodos: plaquinha de identificação e microchip.

- Hidratação: carregar consigo uma, ou mais de uma garrafinha com água é fundamental para garantir a hidratação do pet. Coloque água bem gelada na garrafa, assim estará fresquinha durante o passeio.

- Conforto térmico: a maioria dos bloquinhos de cães são em horários mais frescos do dia, porém nunca é demais lembrar para não sair para passear com o cão entre 10h e 16h. Verifique também a temperatura do asfalto que costuma ficar muito alta.

- Uso da guia: Previna fugas, brigas e até que o cão coma algo do chão utilizando a guia presa à coleira. Escolha uma que seja confortável e segura.

- Saúde: Verifique se o pet está bem de saúde para participar de um evento mais intenso, como um bloquinho de Carnaval. Respeite os limites físicos que o animal apresente, e pare para descansar sempre que preciso. Não se esqueça também de checar se todas as vacinas estão em dia.

Fantasias são uma boa ideia?

Ainda falando sobre quem optou por desfilar com seu pet em algum bloquinho (de preferência os específicos), muitos vão pensar em fantasiar o animal de estimação. Essa ideia pode surgir em outras datas também, como em alguma comemoração temática, para um álbum de fotos, entre outras ocasiões. Não há problema em fantasiar o pet desde que algumas questões sejam observadas, garantindo conforto e segurança:

- Prefira fantasias mais simples, com formato parecido com as roupinhas tradicionais. Caso seja necessário utilizar uma fantasia muito incrementada, com asas, pompons, chapéu, etc. Procure mantê-la por pouco tempo no animal. 

- Verifique a temperatura, em dias quentes a temperatura corporal do pet pode subir ainda mais. Escolha opções mais frescas, com tecido fino e ventilado.

- Evite roupas que apertem ou restrinjam a movimentação. As vezes pode não parecer, mais algo com elástico preso por horas pode gerar lesões. Também não utilize fantasias com adereços que tapem a visão.

- Verifique se o animal está se sentindo à vontade. Alguns (principalmente gatos), podem paralisar ou ficar muito incomodados. Acostume o pet aos poucos às fantasias, e caso ele seja muito estressado, evite usar.

- Evite fantasias que contenham objetos pequenos pendurados, como brincos, pequenas esferas, e outras coisas que podem ser engolidas.

- Evite tingir o pelo do animal. Apesar de existirem algumas tintas específicas para este fim, a recomendação é evitar. Problemas de pele como irritações e alergias são muito comuns e não vale a pena correr esse risco. O processo de tingimento não é simples, e caso o tutor opte por fazer, deve procurar alguém especializado nisso.

- Não coloque a fantasia no pet caso ele esteja sujo ou molhado. Ao abafar o pelo úmido com algum tecido, as chances de proliferação de fungos e bactérias aumenta consideravelmente.

Vai viajar? Dicas de como aproveitar a viagem com seu pet

Para quem optou por aproveitar o feriado prolongado e viajar, uma questão que sempre surge é: levar ou não o pet? Já falamos em detalhes sobre isso em um outro artigo, mas em resumo é interessante levá-lo caso:

- O animal possa ser transportado com segurança

- O local seja amigável e adaptado à presença do pet

Para o transporte, verifique sempre as regras de segurança exigidas pelo meio de transporte escolhido. Por via das dúvidas, tenha sempre uma caixa de transporte para utilizar quando necessário. Viagens de avião e de ônibus rodoviário têm regras específicas, verifique diretamente com a companhia escolhida.

Procure por hotéis “Pet Friendly”, ou seja, amigáveis e preparados aos animais de estimação. Geralmente, esses estabelecimentos têm áreas abertas comuns que os pets podem transitar, e permitem que eles fiquem dentro dos quartos com seus tutores. Alguns ainda oferecem canis e até áreas de lazer próprias para cães e gatos.

Destinos

Separamos dicas para viajar com seu pet para cada tipo de destino que você possa ter escolhido, separando por categorias:

- Praias: Na época do carnaval a dica é procurar por cidades mais afastadas, ou seja, que não sejam tão badaladas, para que os passeios com seu pet sejam agradáveis. Aproveite os horários que as praias estão vazias para dar uma caminhada relaxante. Por que não ver o nascer ou o pôr do sol ao lado do seu melhor amigo? Se for um gato acostumado a passeios, a praia neste horário também é uma ótima pedida.

- Montanha: Seu pet sofre muito com a temperatura alta no verão? As regiões montanhosas são ótimas opções para fugir do calor. Cães de raças desenvolvidas em países frios, como Husky Siberiano, São Bernardo, Malamute do Alaska, Chow Chow, Samoieda, Golden Retriever, entre outros peludões vão agradecer.

- Interior: Carnaval é sinônimo de farra, então, se isso não é muito o seu perfil, aproveite pequenas cidades do interior para curtir um feriado bem tranquilo.

- Ecoturismo: Para quem gosta de aventura e atividades físicas mais intensas, é possível levar o cão para participar, aproveitando a oportunidade para colocar o pet em contato com a natureza. Passeios como trilha, caiaque, stand up paddle, rafting, atividades nos lagos e cachoeira são as mais escolhidas.

Não vai viajar? Aproveite para fazer atividades com seu pet           

Para os que não vão viajar nem trabalhar durante os dias de carnaval, o feriado é uma ótima oportunidade para fazer atividades importantes para o pet, e que irão trazer benefícios para o tutor também.

Conforme já explicamos em outro artigo, cães e gatos precisam de atividade física. Muitos problemas de comportamento podem ser evitados, ou até tratados com os exercícios físicos regulares.  A limitação de espaço e a falta de atividades ao ar livre prejudicam o bem-estar de cães e gatos. Esses animais ainda carregam instintos e necessidades de seus ancestrais selvagens, que passavam boa parte do dia executando alguma tarefa. Veja sugestões de atividades:

- Passeios: Podem ser caminhadas, corridas, até andar de bicicleta ao lado do pet. Vai depender do perfil seu e do cão, e da sua preferência. Procure por guias e coleiras que permitam passeios agradáveis e adaptados a cada situação.

- Brincadeiras em casa: Para cães, cabo de guerra, buscar a bolinha, brincar de saltar, e até uma mini sessão de agility em casa (caso haja espaço) podem ser utilizadas como brincadeiras. Para gatos, utilize brinquedos específicos como artefatos com penas, bolinhas que fazem barulho, ratinhos, entre outros a venda nos pet shops. Qualquer brincadeira que aguce os instintos e seja segura irá fazer bem ao seu pet. É uma boa oportunidade também para estreitar a relação entre tutor e animal de estimação.

- Enriquecimento ambiental: Há tempos temos falado sobre isso no blog pois é algo muito interessante e útil para melhora a qualidade de vida dos animais. Usado desde zoológicos até em recintos de recuperação de animais silvestres, o enriquecimento ambiental está em alta para os gatos. Como geralmente não é possível passear com um bichano, esse método se torna necessário. Através da inclusão de objetos como tocas, túneis, plataformas, brinquedos, plantas, e outras mudanças no ambiente, é possível estimular o gato a praticar atividade física, trazendo conforto e adequando a casa às características dos felinos. E muitos não sabem, mas cães também podem ter seu ambiente enriquecido. Neste caso, as intervenções serão diferentes. Confira no último texto do blog.

Por fim, esperamos que essas dicas ajudem você a curtir o Carnaval com seu melhor amigo de maneira agradável e segura. Além disso, separamos um benefício exclusivo para os leitores deste blog – Clicando aqui você poderá receber um Plano Nutricional elaborado para as necessidades do seu pet, garantindo um desconto especial para aquisição do alimento.