Categoria: Saúde e Bem-Estar

Capa de 'Como evitar a obesidade em cães'

Como evitar a obesidade em cães

Já falamos em vários textos publicados neste espaço sobre a questão da obesidade nos cães, tendo inclusive discutido um pouco sobre os porquês de nossos amigos estarem cada vez mais ‘cheinhos’. Basicamente, os cães são tão próximos à nós, seres humanos, que acabaram por incorporar (involuntariamente, é verdade) alguns hábitos nossos ruins, como a ingestão de alimentos altamente calóricos (e totalmente inapropriados para eles), o sedentarismo, entre outros.

Considera-se que, para animais de estimação, um aumento em 15% além do peso ideal corresponda à obesidade. O ganho de peso ocorre quando a energia adquirida através da ingestão excede a energia gasta pelo organismo, o que pode ser resultado da ingestão exacerbada, atividade física reduzida, taxa metabólica diminuída ou utilização mais eficiente de nutrientes.

Na grande maioria dos casos, o cão obeso é culpa do próprio tutor. Muitos de nós, por desinformação e por termos imensa dificuldade em resistir àquela carinha de pidão que eles sabem fazer tão convincentemente, acabamos por criar hábitos ruins em nossos animais. Se formos oferecer petiscos, eles devem ser sempre apropriados para os cães, e de preferência, fazerem parte de alguma interação educativa. Evite dar petiscos sem ser como recompensa por alguma ação que o seu amigo fez e que deva ser gratificada. NUNCA dê massas em geral (pães, bolachas, pizza, etc.), pois elas são totalmente contraindicadas. Doces de qualquer espécie são terminantemente proibidos! Os embutidos como salame, presuntos, entre outros, são ruins para o pet por conterem altas quantidades de sódio e condimentos e serem ricos em gordura, devendo, portanto, também ser evitados.

Além da oferta de alimentos não apropriados, a falta de exercício é outro problema. A vida nas grandes cidades não favorece mesmo a prática da atividade física. Seja pela relativa falta de parques e áreas verdes, seja por problemas com o trânsito e a violência, aquele saudável e prosaico hábito de dar uma voltinha diária pelo bairro com nosso cãozinho fica cada vez mais raro. Os animais sentem MUITA falta desse passeio diário. E não só por questões de saúde física, mas também pela sua saúde emocional. Programe-se para tentar manter essa rotina saudável de uma caminhada diária. Um percurso curto, de 15 a 20 minutos já será de grande auxílio no controle do peso do seu amigo, além de trazer benefícios para a sua própria saúde, e de aproximar muito mais vocês dois!

 

Os problemas que a obesidade traz

O excesso de peso é um desequilíbrio que põe em risco à saúde geral do seu cão. Um animal obeso pode desenvolver uma série de outras doenças e problemas, como problemas no sistema locomotor e nas articulações, alterações cardiopulmonares e hormonais, como o diabetes. Além disso, cães obesos apresentam uma chance maior de desenvolver doenças infecciosas, além de aumentar os riscos de complicações caso eles já apresentem algum outro problema de saúde.

 

Qual a alimentação ideal para prevenir problemas?

Devemos oferecer aos nossos animais uma alimentação rica em proteínas, com baixo teor de carboidratos, rica em fibras, e de preferência que utilize ingredientes de origem animal.

O sucesso para a perda de peso está na restrição do número de calorias, pelo fornecimento de dietas com total de energia menor do que o requerido para manter o peso corporal. Assim, o animal entrará no que chamamos de balanço energético negativo, e será obrigado a utilizar as suas reservas – ou seja, vai começar a ‘queimar’ as gorduras armazenadas. Especialistas recomendam que as dietas para perda de peso devem restringir o nível de calorias em cerca de 60% das exigências de energia normais dos cães. Como você pode perceber, apenas um Médico Veterinário está totalmente capacitado a determinar quais as quantidades e qual a formulação da ração mais indicada para cada animal. Por isso, procure SEMPRE a orientação desse profissional para que a dieta do seu amigo seja um sucesso, e para que a saúde dele esteja igualmente preservada.

Para começar um programa de redução de peso é imprescindível realizar, previamente, um exame completo, incluindo os exames laboratoriais mais importantes, como urina, função renal e hepática. Se o animal for muito obeso, é importante também, quando possível, realizar um eletrocardiograma e exame radiográfico, especialmente em animais com idade bastante avançada.

 

O papel das fibras em uma dieta equilibrada.

A dieta utilizada no programa de restrição de calorias deve conter altos níveis de fibras, pois este ingrediente tem grande importância na regulação do apetite. As fibras 

ajudam a provocar uma sensação de saciedade no animal, além de efeitos já comprovados destes nutrientes sobre os hormônios do controle do apetite.

Além disso, as fibras apresentam um maior tempo de digestão, permanecendo no intestino do animal por mais tempo. Isso é importante para ajudar a regular os níveis de glicose no sangue, o que é muito importante no processo de perda de peso.

Em nossos próximos textos continuaremos abordando a questão da obesidade em cães e a sua prevenção.

 

Referências

VEIGA, A. (2005). Obesidade e Diabetes Mellitus em pequenos animais. In: González, FH.D., Santos, A.P. (eds.): Anais do II Simpósio de Patologia Clínica Veterinária da Região Sul do Brasil. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. pp.82-91.

LAZZAROTTO, J. J. (1999). Revisão de literatura: Relação entre aspectos nutricionais e obesidade em pequenos animais. Revista da Universidade de Alfenas, v. 5, p.33-35.

GUIMARÃES, A. L. N. S.; TUDURY, E. A. (2006). Etiologias, consequências e tratamentos de obesidades em cães e gatos – Revisão. Veterinária Notícias, v. 12, n. 1, p.29-41.