Categoria: Cães

Capa de 'Como cuidar de cães filhotes'

Como cuidar de cães filhotes

Chegou o momento tão esperado: você escolheu um filhote para cuidar. Agora você tem a nobre e gratificante responsabilidade de criar um animal de estimação. A fase do filhote é curta e divertida, mas requer muito cuidado para garantir o desenvolvimento saudável do pet. Este é um momento crucial para você aprender a lidar com situações que surgem da vida com um cão. Confira neste artigo sugestões sobre como preparar sua casa para a chegada do filhote, dicas para educação básica, conselhos de saúde, noções de comportamento e informações sobre alimentos.

 

  • Preparando a casa

O momento em que o filhote deixa a mãe e os irmãos e chega em sua casa é considerado crítico, graças à súbita mudança de ambiente e vida que o animal enfrentará. Portanto, é natural que o filhote fique muito surpreso nos primeiros dias. Para tornar essa transição o mais fácil e agradável possível, interaja com seu cãozinho sem deixá-lo sozinho por longos períodos.

1 - Abrigo

É muito importante preparar um local confortável e seguro para ele dormir. Esse espaço deve ser limpo, fresco e silencioso, com pouca movimentação de pessoas e, de preferência, sem acesso aos outros animais da casa, se houver. Também não pode faltar uma cama limpa e aconchegante, localizada em um local protegido, junto com uma tigela de água fresca, alimentos e brinquedos.

Dica: Se possível, pegue um pano ou um bicho de pelúcia ao pegar o filhote e tente passar por todo o ambiente em que a mãe e os irmãos estão. Dessa forma, o objeto coletará seu cheiro, trazendo familiaridade e, consequentemente, uma sensação de segurança.

2 - Segurança

Os filhotes geralmente são curiosos e vão explorar, mastigar e até comer tudo o que podem, esse é seu comportamento natural. Portanto, remova todos os tipos de fios expostos e restrinja o acesso a produtos de limpeza, medicamentos, brinquedos e plantas potencialmente tóxicas. Use brinquedos especiais para cães para distrair o seu cachorro e reduzir a destruição da casa.

 

  • Educação desde os primeiros dias

Depois de receber o filhote e preparar todo o ambiente, é hora de ensinar-lhe boas maneiras.

1 - Xixi e cocô

Use tapetes ou jornais higiênicos e discipline seu filhote a usar uma área específica da casa. Isso pode ser feito através da passagem de um pedaço de papel com o xixi dele no jornal ou na área desejada, ou identificando sua necessidade pelo comportamento de cheirar demais em um local e levando-o imediatamente ao ponto escolhido para aliviar. Seja paciente para corrigir seu cãozinho quando erros são cometidos, sendo firme - sem violência. Repreenda oportunamente com um controle negativo em tom alto (não!), E elogie e trate-o quando ele acertar.

2 - Atividade física

Brincar e exercitar-se são essenciais para que seu cão viva feliz, reduzindo até as chances de destruição de objetos domésticos. Ao estimular seu filhote através de jogos e brinquedos, você conhece a personalidade e o potencial do seu animal. Para iniciar as atividades com ele, escolha uma coleira adequada ao seu tamanho. É importante, desde os primeiros dias, acostumar seu cão, mesmo que seja apenas em casa, para que ele esteja familiarizado com o uso.

3 - Higiene

Devemos deixar os filhotes confortáveis ​​com os hábitos de tomar banho e escovar os dentes; desta forma, esses momentos serão menos estressantes. Dois banhos por mês são suficientes e não se esqueça de usar apenas xampus formulados para cães.

Para higiene bucal, escove os dentes 2 a 4 vezes por semana (se possível, faça-o diariamente) usando escova e pasta de dentes feitas para cães. O acúmulo de bactérias nos dentes leva à formação de placas que, devido à falta de escovação, se acumulam para formar tártaro. As bactérias eliminam as toxinas que danificam os tecidos e as estruturas, mais tarde desencadeando gengivite (vermelhidão e sangramento) e periodontite (infecção gengival). A persistência do tártaro pode até causar doenças sistêmicas, uma vez que as bactérias e suas toxinas podem acabar na corrente sanguínea e atingir órgãos como coração, rim e fígado.

 

  • Treinamento

O cão é uma espécie que vive naturalmente em grupos. A partir do momento em que ele se junta a uma família humana, a família se torna seu bando. No entanto, na dinâmica social dos cães, sempre haverá um líder, que representa a figura a ser respeitada nesse grupo, e o papel do proprietário responsável é ser esse líder. Mais do que mero treinamento e comandos básicos, tornar-se essa figura de liderança é fundamental para uma interação saudável com seu cão. Nesse sentido, invista em uma postura firme e assertiva, repreendendo os erros e reconhecendo quando estiver certo.

Acostume-se desde os primeiros dias a manipular tudo o que rodeia o seu cão, moldando sua submissão. Ao ganhar sua confiança e o papel de líder, seu cão o respeitará e estará pronto para aprender alguns truques básicos.

Dica: crie palavras-chave para que ele memorize os comandos e sempre os repita para estimular uma resposta positiva. Usar petiscos é uma boa técnica para recompensar as respostas corretas aos comandos.

 

  • Cuidados de saúde

1 - Vacinas

As vacinas estimulam o sistema imunológico do organismo, para que ele possa se defender de doenças, sendo um item que nunca deve ser negligenciado. Vale lembrar que é de extrema importância que o filhote receba outras vacinas e também contra a raiva, pois existem muitas doenças infecciosas que podem afetar a saúde dos animais de estimação. Até que você complete o protocolo de vacinação, é recomendável impedir o acesso à rua e o contato com outros animais. Sempre vacine seu pet em uma clínica veterinária, pois apenas um veterinário é capaz de avaliar a saúde do animal e indicar quais vacinas são necessárias.

2 - Pulgas

Além de causar um grande desconforto ao animal, as pulgas transmitem doenças para ele e para os seres humanos (vermes intestinais). A dermatite alérgica à pulga é outra consequência dessa infestação. A doença é uma alergia que ocorre após a picada de pulgas. Prurido, inflamação e perda de pelo são alguns dos sintomas mais comuns.

O controle das pulgas deve ser realizado paralelamente aos cuidados com o meio ambiente, uma vez que as pulgas adultas que você encontrará em seu animal de estimação representam apenas 5% das formas desse parasita presente em sua casa. Para controlar as pulgas no ambiente, sempre limpe os locais onde o animal tem contato, como casas de cachorro, cabanas, sofás, cantos de parede e aberturas entre peças de móveis, porque são os locais onde as pulgas gostam de ficar. Use apenas os medicamentos recomendados pelo veterinário de confiança e pergunte a ele como manter sua casa livre de pulgas.

3 - Carrapatos

Os carrapatos também transmitem doenças a animais de estimação e humanos, alguns dos quais são muito graves (erliquiose em cães e febre maculosa em humanos). A maioria deles também está no ambiente e eles escalam animais para se alimentar, e podem permanecer presos na pele por vários dias. Uma simples caminhada pode trazer carrapatos para o seu pet e sua casa, então a melhor coisa é a prevenção. Existem produtos com grande eficácia na prevenção e eliminação de carrapatos, fale com seu veterinário.

4 - Vermes intestinais

Os primeiros meses de vida são os mais suscetíveis a infecções por parasitas, principalmente devido à curiosidade que os leva a explorar e lamber / ingerir objetos. Mesmo que seu filhote não tenha acesso à rua ou a outros animais, ele pode ter vermes intestinais, e um protocolo para um anti-helmíntico deve ser conduzido com a supervisão de um veterinário.

 

  • Cuidado alimentar

A alimentação deve levar em consideração a idade e o estilo de vida do animal. Os cães têm alta necessidade de proteína e fontes de alta qualidade de proteína animal são obrigatórias. Essa característica torna os cães animais carnívoros.

Alimentos com baixo índice glicêmico fornecem menor oscilação da resposta glicêmica pós-prandial (após a alimentação). Estudos conduzidos pelo Departamento de Pesquisa da Farmina Vet Research destacaram que alimentos com baixa quantidade de amido ou com fontes alternativas de amido em quantidade moderada, como quinoa, aveia, cevada e sorgo, ajudam a controlar os níveis de glicose no sangue após comer, restringindo o acúmulo de energia positiva e reduzindo os picos de glicose depois de comer.

 

  • Escolhendo a comida correta

Antes de tudo, os cães podem começar a comer comida de cachorro da quarta à quinta semana de vida e devem mantê-la até a idade adulta. Nesta fase, é importante usar um alimento de alta qualidade para atender à alta demanda de energia e proteína dos animais em crescimento. Veja abaixo até quando os cães ainda podem ser considerados filhotes:

 - De tamanho pequeno (até 9kg) até 10 meses;

 - Médias (10 a 25kg) até 12 meses;

 - De tamanho grande (26 a 40 kg) até 18 meses;

 - Tamanho gigante (acima de 40 kg) até 24 meses.

 

  • Quantas vezes ao dia?

Os cães geralmente são grandes comedores, por isso é importante prestar atenção à quantidade de comida oferecida. Para os filhotes, é necessário fornecer alimentos de 3 a 4 vezes por dia, mas os adultos podem comer 2 vezes ao dia. O importante é seguir o racionamento correto. 

Cuidar de seu filhote também significa cuidar de sua nutrição, fazê-lo da melhor maneira, escolher apenas alimentos completos, controlar seu crescimento e descobrir o quanto seu animal de estimação deve comer com o nosso Suporte Nutricional. Em caso de dúvida, pergunte aos Consultores Nutricionais da Farmina clicando aqui.

 

  • Entretenimento e passeio

Passear regularmente com o seu cão é fundamental para mantê-lo ativo e saudável. Os passeios são uma maneira divertida de interagir e educar seu filhote desde os primeiros dias para socializar e se exercitar. Sempre use coleiras e guias confortáveis, ajustadas para passear, e reserve um tempo para mostrar sua posição de liderança:

- Comece com caminhadas curtas, sem contato com outros cães;

- Use comandos como "parar" e "ir" para ensinar o filhote a respeitar seu ritmo;

- Repreenda-o com um puxão leve na guia toda vez que ele não seguir suas orientações;

Para entreter o seu cão em casa, use sempre brinquedos. Os cães gostam de simular que estão caçando e as bolas são ótimas para isso. Outro jogo que eles gostam muito é o cabo de guerra, que pode ser feito com cordas, brinquedos e panos (sem fiapos).

Toda essa interação é muito positiva e importante para os cães, porque são animais que vivem em grupos. Muitos comportamentos indesejados, como latidos em excesso, destruição de móveis, ansiedade e compulsão, podem ser atenuados ou até curados com interação e atividade física regular. Cães que não passearam acumularam energia e precisarão liberar essa energia em algo. Na natureza, os cães selvagens andam várias horas por dia em áreas muito grandes. Para nós, seres humanos, um passeio também é muito saudável, porque todos sabemos a importância da atividade física em nossas vidas, o que nos traz bem-estar físico e psicológico.