Categoria: Cães

Capa de 'Cães de trabalho e suas habilidades'

Cães de trabalho e suas habilidades

Os cães estão presentes na vida do homem há bastante tempo. Ao longo dessa convivência foram criadas diversas raças com particularidades específicas, capazes de realizar diferentes atividades. Veja a seguir as principais funções que os cães de trabalho têm desempenhado ao longo dos séculos.

Cães de guarda

A função de guarda é talvez a mais antiga que os cães realizam para o homem. No início da domesticação, o homem permitia a aproximação de cães selvagens (ou até lobos) justamente para contar com a proteção que eles traziam ao rondar a área afastando invasores.  Atualmente os cães ainda exercem esse trabalho em casas e empresas.

Para exercer essa atividade, é importante identificar raças que possuem características específicas para um bom desempenho. São indicados animais territorialistas, atentos, com latido forte e porte robusto. Além desses atributos, é essencial que o cachorro seja obediente e fiel ao seu líder. Portanto, devem ser treinados desde pequenos através do adestramento.

É preciso destacar que o comportamento do cão e sua personalidade também dependem da criação. Assim, é possível ter esses atributos para a guarda e, ao mesmo tempo, um animal dócil e seguro com as pessoas que ele conhece. A função do cão de guarda não é ser feroz ou atacar a qualquer momento, e sim tomar conta do local avisando (através do latido) quando alguma ameaça aparece, afugentando invasores com sua presença. Vale lembrar que apesar de serem cães de guarda, devem receber todos os cuidados e atenção que um cão sem essa função recebe.

Existem muitas raças que tem perfil para ser um bom cão de guarda. Confira abaixo as mais comuns:

ROTTWEILER: Originário da Alemanha, foi criado inicialmente para proteger gados. Atualmente é utilizado na proteção de casas e empresas. Possui características importantes para a guarda: alerta, inteligente, ágil, instinto de liderança, territorialista, confiante e robusto.

CANE CORSO: Nativo da Itália, era utilizado desde a época do Império Romano. Sua função era proteger os rebanhos e as propriedades. Seu latido forte somado com seu porte físico imponente e seu companheirismo conquistam aqueles que procuram um bom protetor.

DOBERMAN: Proveniente da Alemanha, surgiu através de um homem, que andava com muito dinheiro, e precisava de proteção durante o dia. Dessa forma, o homem (que possuía o nome da raça) começou os cruzamentos, que originaram um cão inteligente, facilmente treinável, rápido e territorialista. Hoje em dia é capaz de exercer qualquer atividade relacionada com proteção, principalmente em grandes áreas, devido a sua velocidade e resistência.

Cães de pastoreio

Além de grandes companheiros na cidade, os cães também podem colaborar com atividades nas propriedades rurais. O trabalho de pastoreio é um dos mais executados até hoje. Cães de pastoreio aprendem facilmente a agrupar e conduzir o rebanho. Possuem capacidade de pastorear bovinos, ovinos, caprinos, equinos, suínos e aves. Além disso, ainda garantem a proteção dos animais ao espantar predadores naturais dessas espécies.  Dessa forma, facilitam o manejo, se tornando fundamental para quem trabalha no campo.

Para ter um bom cão de pastoreio, o produtor precisa escolher bem o filhote, que deve apresentar potencial de trabalho desde pequeno. Sua criação também terá bastante importância no processo de aprendizado. É importante que no momento da escolha, os padrões estéticos sejam deixados de lado e que a seleção dos reprodutores seja feita baseada no histórico familiar, que garantem vocação para essa atividade. Veja abaixo as duas raças mais utilizadas:

BORDER COLLIE: Originado na Grã-Bretanha, é utilizado como pastoreio desde o final do século XVI nas criações de ovelhas. Possui como maior característica de trabalho a busca dos animais em lugares distantes para trazer até os funcionários.  Demonstra também ótimos resultados no controle dos animais em curral.

Suas principais qualidades que tornam apto a função são: fácil aprendizagem (considerada a raça mais inteligente), boa capacidade para compreender comandos de voz, agitados e extremamente inteligentes. Além de eficiente, ainda é considerada uma raça dócil.

BOIADEIRO AUSTRALIANO: Nativo da Austrália é uma raça bastante conhecida no ambiente rural. Atua principalmente como “empurrador” do rebanho, levando os animais para o lugar indicado. Diferentemente do Border Collie, o Boiadeiro Australiano precisa da presença de um condutor durante o seu trabalho. Características da raça são essenciais para o sucesso no trabalho.  Dessa forma, são cães enérgicos, inteligentes, destemidos, obedientes e resistentes, que podem atuar em vários momentos do dia. Além disso, ainda sabem latir para chamar a atenção do líder quando necessário para avisar a localização dos animais de produção.

Cães de caça

Durante muito tempo, a função de caça foi a mais executada pelos cães. Com o desenvolvimento da agropecuária de larga escala, e a grande capacidade de distribuição de alimentos nos dias de hoje, essa função está se extinguindo. A maioria das raças de caça foram se tornando cães de companhia.

Existem mais de 100 raças de caça, e elas são divididas em várias categorias:

Terriers: são cães de porte pequeno ou médio usados para caçar pequenas presas.  A palavra “terrier” vem de “terra”, e as presas mais caçadas por eles se escondem em tocas.  São cães destemidos, intensos, de atitude e temperamento forte. As raças mais famosas são: Bull Terrier, Yorkshire Terrier, Fox Terrier, Jack Russel, Fox Paulistinha (Terrier Brasileiro), entre outros.

Lebreis: chamados também de Galgos, o nome “Lebrél” deriva de lebre. São cães extremamente rápidos e ágeis, utilizados para caçar animais muito velozes - localizam e perseguem primordialmente por meio da visão. São esbeltos, com pernas longas, e dorso forte e flexível. A cabeça desses cães é estreita e comprida, o que facilita seus movimentos em uma corrida. São animais dóceis e delicados. O Whippet, Borzoi, Afgan Hound e o Saluki são exemplares dessa categoria.

Retrievers: são os cães de busca, que ajudam na caça ao resgatar a presa abatida. São animais bem mansos, que fazem questão de trazer a presa, e não de abate-la. Uma característica marcante desses cães é a delicadeza da sua mordida. Os Retrivers foram aperfeiçoados para buscar aves aquáticas e ajudar a trazer a rede de pesca em rios e lagos. O Labrador e o Golden Retriever são as raças mais famosas dessa categoria.

Cães farejadores

As raças desenvolvidas para farejar são consideradas também de caça, já que farejam presas. Temos duas grandes categorias:

Sabujos: são as raças com a maior capacidade de olfato. São utilizados para rastrear a presa, mesmo que ela esteja há quilômetros de distância. Fisicamente, têm orelhas longas e pernas mais curtas, justamente para ajudar a farejar no chão. Atualmente estes cães farejam explosivos, drogas, produtos inflamáveis e até alimentos, além de ajudar na busca de pessoas perdidas. As raças mais populares são: Beagle, Basset Hound e Bloodhound.

Spaniels: foram originalmente criados para encontrar e recuperar pássaros, não para matá-los. Os Spaniels trabalhavam perto do caçador, provocando os pássaros - geralmente faisões - a voar para a linha de tiro do caçador. Uma vez que o pássaro fosse abatido, o Spaniel localizava seu cheiro e apontava sua localização com o focinho. Seu porte é geralmente médio, com pelagem densa e ondulada, além de orelhas caídas. São cães de temperamento forte e que adoram explorar. Atualmente são raças de companhia. O Cocker Spaniel Americano e o Inglês e o Cavalier King Charles Spaniel são os mais conhecidos, mas existem algumas outras raças, principalmente na Europa.

Como você pode perceber, o trabalho dos cães sempre foi valioso para os seres-humanos. Fique ligado que iremos falar mais sobre raças nos nossos próximos artigos. Se tiver dúvidas ou sugestões, deixe um comentário abaixo.