Categoria: Cães

Capa de 'As raças mais exóticas e suas curiosidades'

As raças mais exóticas e suas curiosidades

Dando continuidade aos artigos sobre raças, hoje vamos falar sobre cães e gatos de raças consideradas exóticas, sejam pela sua aparência, como pela sua história e curiosidades.

Raças exóticas de cães

Xoloitzcuintli: também conhecido como Cão Pelado Mexicano, essa raça existe há pelo menos 3.000 anos e é considerada um tesouro nacional no México. Apresenta-se em três tamanhos, sendo standard, intermediário e miniatura. Como o próprio nome diz, o cão não possui pelagem, o que o torna uma boa opção para pessoas alérgicas à pelos de cães. O nome da raça foi dado pelos antigos Astecas, que homenagearam Xolotl, o deus do fogo e do acompanhamento dos mortos para o outro mundo. Acreditava-se na época que esses cães possuíam poder de cura em quadros de asma, reumatismo e insônia. Além disso, ainda eram responsáveis por afastar os maus espíritos dos locais onde habitavam.

Cão Pelado Mexicano (Foto: Petful)

Atualmente, os Xolos, como são conhecidos também, são utilizados como cães de guarda e de companhia. São animais que gostam de brincar bastante e de fazer longas caminhadas. Apesar de ser um cão que está sempre alerta, sua personalidade é tranquila com pessoas e animais que ele conhece. Pode demonstrar certa agressividade com estranhos pelo fato de ser territorialista. Quem desejar ter um exemplar do Cão Pelado Mexicano deve se atentar aos cuidados necessários com a pele e a possíveis doenças frequentes, como a displasia coxofemoral e as infecções nas orelhas, as otites. Vale destacar que a raça é considerada natural por não ter havido reprodução seletiva ao longo da sua evolução.

Cão de Crista Chinês: originário do cruzamento de cães africanos sem pelos com cães chineses pequenos, a raça disseminou-se pelo mundo com bastante rapidez, principalmente na América Central e do Sul. Eram utilizados por marinheiros chineses com o intuito de caçar ratos nas embarcações por conta da sua agilidade. Pela capacidade de exercer funções importantes, também eram utilizados na troca entre marinheiros em diversos portos por mercadorias. Dessa forma, a raça foi espalhada pelo mundo, tornando-se popular nas exposições. Atualmente, a procura desses animais é para a finalidade de companhia. O Crista Chinês é um cão atento, obediente, amoroso, brincalhão e dedicado à sua família.  São comumente utilizados em terapias e em atividades de agility.

Cão de Crista Chinês (Foto: Petful)

Pastor Bergamasco: a origem desse pastor é bastante duvidosa, mas sabemos que é uma raça muito antiga e rara que se estabeleceu na cidade de Bérgamo, próxima a Milão, na Itália. O cão é considerado ideal para pastoreio e proteção às ovelhas nos alpes italianos. Sua pelagem densa proporciona proteção às baixas temperaturas da região, além de servir como uma armadura aos possíveis ataques de predadores. Os Bergamascos apresentam caráter sociável, amoroso, leal e são facilmente treinados. Ainda são capazes de proteger sua família, apresentando agressividade apenas como último recurso.

Pastor Bergamasco (Foto: Perry Lassin)

Puli: Acredita-se que a raça foi trazida para a Europa há mil anos atrás por nômades asiáticos conhecidos como Magiares. Esses cães, assim como o Pastor de Bergamasco, eram responsáveis por unir grandes rebanhos de ovelhas, principalmente na Hungria. Seu pelo é muito denso e assemelha-se com dreadlocks, necessário para proteger de baixas temperaturas. Com porte pequeno e pelagem grande, os Pulis são notavelmente ágeis, ganhando até a reputação de “acrobata do mundo dos cães”. Sua natureza exige estímulo diário através de exercícios físicos e mentais nas mesmas proporções. Dessa forma, essa raça destaca-se nos esportes caninos e no pastoreio por serem obedientes e ligeiros.

Puli (Foto: Anita Ritenour)

Galgo Afegão: essa é uma das raças puras mais antigas do mundo. O Galgo Afegão se destaca pela sua elegância através da sua pelagem sedosa e das suas características físicas e comportamentais. É um cão alto, magro e com uma força considerável. Sua origem ainda é desconhecida, mas acredita-se que é originário de uma região que agora se divide em Afeganistão, Paquistão e Índia. Antigamente era um grande companheiro de caça por ter boa visão panorâmica e velocidade explosiva para capturar suas presas. Por conta disso, se tornou um símbolo das realezas, dos chefes tribais e dos aristocratas, que moravam nos reinos montanhosos da Ásia. A raça começou a ganhar destaque internacional a partir de 1900, quando oficiais ingleses trouxeram alguns exemplares para a Europa. Não demorou muito para que fossem registrados e que se tornassem o cão preferido da nobreza britânica.

Galgo Afegão (Foto: State Farm)

Nas américas, o Galgo chegou por volta de 1930 e ganhou bastante repercussão após Zeppo Marx, o irmão mais novo dos irmãos Marx (grupo de comediantes americanos), importar um casal reprodutor. Desde então, sua fama foi construída com base nas suas excelentes qualidades como animal de estimação. O sucesso foi tanto que até o pintor Pablo Picasso resolveu homenageá-lo com uma escultura no Daley Plaza de Chicago.

Ter um Galgo Afegão não é uma tarefa fácil, pois é necessário atender todas as suas demandas energéticas. Por serem bastante ágeis e acostumados a viver em lugares com bastante espaço, caminhadas curtas não são suficientes. O ideal é que o cão tenha a oportunidade de correr diversas vezes por semana em uma área grande, fechada e segura, uma vez que são considerados também grandes saltadores. Além disso, ainda é importante o cuidado com a sua pelagem, que requer escovações diárias e uso de xampu e de condicionador.

Gatos exóticos

Savannah: o primeiro exemplar surgiu no ano de 1986 após o cruzamento de um gato doméstico com um Serval Africano. O resultado foi tão surpreendente que duas mulheres decidiram desenvolver uma nova raça a partir desse indivíduo. Difícil de encontrar e caríssimo, o Savannah é muito ativo e precisa de interação na maior parte do tempo, seja com a família ou com outros gatos. Também é bastante leal, aventureiro, curioso, extrovertido, gracioso e bem equilibrado. Além de ter uma personalidade agradável, chama a atenção dos amantes de felinos pelas suas características físicas parecidas com animais selvagens. Sua pelagem chama muito a atenção, e possui orelhas grandes e altas, corpo comprido e pernas longas.

Savannah (Foto: Will.wade)

Sphynx: essa é a raça mais curiosa no mundo dos gatos. Por não possuir pelagem, sua pele enrugada fica aparente, mostrando um visual exótico. O Sphynx surgiu no Canadá em 1966 quando uma gata doméstica pariu um filhote sem pelos devido a uma mutação genética natural. Para criar mais exemplares, esses gatos foram reproduzidos diversas vezes na procura de selecionar apenas os que nasciam pelados. Dessa forma, a raça foi aprimorada até atingir os padrões vistos atualmente.

Sphynx (Foto: Shannon Badiee)

Com orelhas grandes e pele macia, esses gatos se destacam também por ser inteligentes, ativos, extremamente amigáveis, dedicados aos seus donos e bem receptivos a outras pessoas e animais que não estão habituados a conviver.

Khaomanee: essa raça tem olhos de cores diferentes um do outro, e uma pelagem totalmente branca. A maioria dos exemplares apresentam um olho azul e o outro em um tom que pode variar do amarelo ao verde. Por conta da sua pelagem brilhante, da sua beleza e da sua personalidade, a raça é considerada uma das preferidas nos palácios reais. Originado na Tailândia, o Khaomanee foi desenvolvido nos Estados Unidos e no Reino Unido a partir de 1999, sendo registrado apenas em 2012. Como principais características, esses gatos se mostram ágeis, inteligentes, carinhosos, curiosos, receptivos e bem apegado aos seus donos. Além disso, ainda costumam viver bem com crianças e com outros animais.

Khaomanee

Se você tiver alguma sugestão ou dúvida sobre raças de cães e gatos, ou a respeito de outros assuntos abordados neste blog, não deixe de nos enviar uma mensagem abaixo ou em nossas redes sociais.