Categoria: Saúde e Bem-Estar

Capa de 'Alimentos funcionais e sua história - o coco e a cúrcuma'

Alimentos funcionais e sua história - o coco e a cúrcuma

Muitos alimentos que são consumidos há bastante tempo pelo homem e pelos animais têm sido estudados com a finalidade de descobrir propriedades nutricionais e funcionais que não eram conhecidas anteriormente. No texto de hoje vamos falar sobre dois desses casos de alimentos com diversas propriedades benéficas para a saúde: o coco e a cúrcuma.
 

A história do coco          

O coqueiro, árvore do fruto Coco, é originária de ilhas de clima tropical do oceano Pacífico, principalmente no sudeste asiático (Indonésia, Filipinas, Malásia, Tailândia, Vietnã, entre outros). Apesar dessa origem, o coqueiro é cultivado em quase todos os continentes, em regiões de clima tropical como Caribe, áreas costeiras do Brasil e da África, e outras partes do mundo. A chegada do coco ao Brasil data de 1553, a bordo de embarcações portuguesas que vinham de Cabo Verde, na África. E tudo indica que foram os próprios portugueses que trouxeram o coco, provavelmente do continente asiático, até a África durante suas expedições.

O coco é o sustento de diversas famílias que vivem em regiões onde o fruto está presente, já que além da água de coco, há também a polpa nutritiva e a casca, que pode ser utilizada para fabricação de cordas, estofamentos, ferramentas e outros utensílios. Há um ditado indonésio que diz que “há tantos usos para o coqueiro quanto há dias no ano.” Como alimento, o coco produz os seguintes produtos: água, açúcar, óleo, leite e polpa.  
 

Propriedades nutricionais e funcionais

Primeiramente, devemos esclarecer o que significa o termo ‘alimento funcional’: é aquele definido basicamente como potencialmente saudável, que proporciona benefícios à saúde além dos nutrientes tradicionais que o compõem. Isto não significa que o alimento vai curar alguma doença, apenas que pode ajudar ao oferecer mais recursos para o organismo se recuperar. Conheça as propriedades do coco, considerado um alimento funcional.

As propriedades nutricionais do coco são muitas. Começando pela água de coco, que contém vitaminas B3, B5, B2, C, biotina e ácido fólico, além de minerais, como sódio, magnésio, fósforo e potássio. A polpa da fruta também contém esses nutrientes, além de substâncias antioxidantes como a citocinina e vitamina E, proteínas, aminoácidos e carboidratos. O principal item da polpa é o famoso óleo de coco.

O óleo de coco tem uma composição diferente da maioria dos outros óleos encontrados na natureza. Os lipídeos do óleo de coco são metabolizados mais facilmente, sendo utilizados como energia imediata, sem se depositar no tecido adiposo, evitando o ganho de peso. Esse tipo de gordura apresenta benefícios para o coração, pois ajuda a aumentar os níveis de “colesterol bom” (HDL), reduzindo consequentemente o “colesterol ruim” (LDL).

Dentro da composição do óleo de coco está o ácido láurico. Esse ácido está presente também no leite materno e apresenta muitos benefícios para a saúde. Quando digerido, produz uma substância chamada monolaurina, que possui reconhecida ação antiviral e antibacteriana, sendo utilizada inclusive pela indústria farmacêutica para evitar a proliferação de bactérias em preparações injetáveis. Há ainda a presença de substâncias antioxidantes (polifenois) que reforçam o sistema imunológico e combatem a inflamação.
 

A história da cúrcuma

Outro alimento reconhecidamente benéfico e frequentemente associado a propriedades funcionais é a cúrcuma. Da mesma família do gengibre, é conhecida popularmente como “açafrão-da-terra” e tem sua origem na Índia. A cúrcuma sempre foi muito utilizada como condimento ou tempero, além de corante natural, devido a seu forte pigmento amarelo avermelhado chamado de curcumina.

A parte comestível é a raiz, que é seca e moída para uso culinário. Esta planta é utilizada na Índia desde a antiguidade, se tornando um símbolo da culinária e da medicina daquela região da Ásia. No Brasil, a introdução do alimento se dá há aproximadamente 40 anos.
    

Propriedades nutricionais e funcionais                     

Desde os povos mais antigos, a cúrcuma tem sido relacionada com diversas propriedades medicinais. Estudos científicos modernos relatam suas atividades como: anti-inflamatória, antimicrobiana, antifúngica, além de efeitos digestivos.  Esses efeitos decorrem de muitos compostos presentes na planta com potente ação antioxidante, chamados de curcuminoides, que inibem moléculas que participam do processo inflamatório. Esse efeito reduz a inflamação no organismo, o que ajuda no tratamento e alívio de diferentes enfermidades.

A cúrcuma é utilizada na medicina humana em preparações fitoterápicas (cápsulas concentradas) para casos de dores crônicas, como artrites, e não apresenta toxicidade para humanos, nem para animais. Outra indicação comum da cúrcuma é como auxiliar do sistema digestivo, principalmente para o fígado, ao proteger as células deste órgão. Entre os nutrientes da cúrcuma destacam-se a vitamina C e os minerais, ferro, potássio, magnésio e zinco.

Vale ressaltar que as propriedades funcionais da cúrcuma e do coco ainda estão sendo elucidadas por diversas pesquisas (algumas citadas nas referências deste artigo), e não foram confirmados efeitos curativos. Apesar disso, os estudos são muito promissores e têm demonstrado qualidades incríveis desses vegetais na manutenção da saúde.

A Farmina utiliza ingredientes naturais na formulação dos alimentos completos para cães e gatos da linha N&D, sem a adição de corantes e conservantes artificiais e sem grãos transgênicos. Os produtos contam também com essências botânicas e vegetais com propriedades benéficas, como a quinoa, alfafa, aloe vera, abóbora, blueberry, entre outros. Essas essências reproduzem a tendência dos animais de selecionar de forma instintiva as plantas que favorecem a manutenção do seu estado de saúde e melhoram o seu bem-estar.  

Para conhecer o produto mais adequado ao seu pet na linha N&D, acesse nosso site ou fale conosco nos comentários e redes sociais.       
 

Referências

AKRAM, M., et al. Curcuma longa and Curcumin: A review article Romanian Journal of Biology - Plant Biology. v. 55, n.2, p.65-70, 2010.

CHAINANI-WU, N. Safety and Anti-Inflammatory Activity of Curcumin: A Component of Tumeric (Curcuma longa). v.9, n.1, p.161-168, 2003.

DEBMANDAL, M.; MANDAL, S. Coconut (Cocos nucifera L.: Arecaceae): In health promotion and disease prevention. Asian Pacific Journal of Tropical Medicine. v.4, n.3, p.241-247, 2011.

EMBRAPA - Evolução da produção de coco no Brasil e o comércio internacional - Panorama 2010. Documentos 164. Junho, 2011. 32p. Disponível em:

JURENKA, J.S. Anti-inflammatory properties of curcumin, a major constituent of Curcuma longa: a review of preclinical and clinical research. Alternative Medicine Review. v.14, n.2, p.142-153, 2009.

MARCHI, J.P,. et al. Curcuma Longa L., o Açafrão Da Terra, e seus benefícios medicinais. Arq. Cienc. Saúde UNIPAR. v. 20, n.3, p.189-194, 2016.

PRADO, F.C., et al. Development and evaluation of a fermented coconut water beverage with potential health benefits. Journal of functional foods. v.12. p.489-497, 2015.