Categoria: Gatos

Capa de 'Agressividade em gatos: O que fazer? Quais as causas?'

Agressividade em gatos: O que fazer? Quais as causas?

Gatos geralmente são animais afetuosos e excelentes companheiros.  Mas, não é raro que de repente o gato abandone sua docilidade por um comportamento agressivo, atacando com mordidas ou arranhões. A agressão pode ser direcionada a tutores, pessoas em geral ou outros gatos e animais. Pode ser desencadeada por várias causas, incluindo brincadeiras, medo, defesa do território, contato físico prolongado e muito mais.

É importante destacar que o comportamento agressivo do gato, embora ligado à sua natureza como predador e caçador, nunca deve ser negligenciado. Um gato agressivo pode se tornar perigoso para todos que estão à sua volta, e gera muito estresse para o bichano, impactando sua saúde e bem-estar. Descubra quais as são as causas da agressividade em gatos e como evitá-las.

O que é e como se manifesta a agressividade em gatos?

A agressão é definida como comportamento hostil ou violento destinado a dominar ou intimidar outro indivíduo. Podemos dizer que um gato se torna agressivo quando começa a ter um comportamento estranho, como atacar pessoas, outros gatos ou outros animais. Geralmente, o felino se comporta dessa maneira para impedir que alguém se aproxime. A agressividade em gatos é acompanhada por outros sinais que antecipam um possível ataque e são fáceis de reconhecer, especialmente se o tutor conhece bem o seu felino. Podemos diferenciar os sinais por defensivos ou agressivos.

O gato assume uma postura defensiva quando interpreta que uma situação eminente deve ser impedida a qualquer custo, se defendendo do que o aflige:

- Seu olhar está fixo com pupilas dilatadas

- Cauda torcida

- Mantém as orelhas baixas e se agacha

- Faz aquele chiado típico de gatos

Já o comportamento agressivo pode preceder um ataque, e envolve:

- Corpo elevado

- Posição dominante

- Orelhas lateralizadas

- Pelos eriçados

- Rosna e faz gritos semelhantes a miados longos e estridentes

Na maioria das vezes, a intenção do gato é assustar e recuar o oponente, caso contrário ele continuará no ataque. Os sinais defensivos e agressivos podem se misturar em uma mesma situação, haja vista que o medo quase sempre está presente.  Para impedir que situações desse tipo sejam repetidas ou se tornem corriqueiras, é muito importante saber o que desencadeia essa agressividade; portanto, listamos abaixo possíveis causas pelas quais o gato se tornou repentinamente agressivo.

Causas mais comuns de agressividade do gato

Gato agressivo porque está doente ou com dor

Uma das principais razões da agressividade em gatos está relacionada à dor. Em geral, é difícil perceber que um gato está doente ou sofre, pois eles são pouco expressivos. Por um mecanismo de defesa e autopreservação, o felino faz o que pode para não demonstrar sua fraqueza. A dor e a doença são sinais de fraqueza para um caçador solitário e vulnerável ao ataque de outros animais concorrentes.

Algumas doenças ou condições comuns que fazem um gato sentir dor são artrite, otite, peritonite, problemas dentários, abscessos, entre outros. Inflamações e infecções causadas por feridas resultantes de brigas com outros animais ou ferimentos acidentais durante brincadeiras também ocorrem. Problemas urinários, como cistite e pedras na bexiga ou uretra são outras causas bem frequentes de dor.

Existem outras doenças que não causam dor física, mas que podem levar o gato a se comportar de maneira estranha de repente. O gato assume a postura agressiva para alertar os que o rodeiam a não se aproximarem. Podem ser problemas neurológicos, hormonais, leucemia felina, raiva, infecções, etc. Como os sinais dessas doenças não são específicos, é necessário realizar testes aprofundados no veterinário para diagnosticar.

Agressividade em gatos acontece por medo

O medo no gato é causado por situações que o fazem se sentir em perigo, assim, ele pode reagir se escondendo ou se tornando violento. Em geral, um gato adequadamente socializado não tem medo de estímulos normais ou diários, como o som de um sino ou uma buzina, ou a aproximação amistosa de uma pessoa. No entanto, sons e cheiros novos, animais e pessoas com postura diferente (crianças, por exemplo) podem causar desconfiança, especialmente se o estímulo estiver associado a uma experiência negativa. Além disso, outras situações que podem assustar o gato são os fortes ruídos repentinos, como fogos de artifício, trovões, barulhos de construção e até gritos de crianças.

Agressividade em gatos por motivo territorial

Essa é uma agressividade de gatos com gatos ou com cães e outros animais, mas às vezes também com humanos.  Cada gato é feito à sua maneira e cada um tem uma personalidade diferente. Alguns são mais calmos, outros hiperativos e outros mais intolerantes. Por exemplo, um gato muito doce com seus donos pode ser territorial com outros animais ao mesmo tempo, e assim, pode ocorrer a agressividade em gatos. Quando o gato defende seu território, adota uma postura de defesa e mia de maneira “ameaçadora” para o inimigo e com esses sons tenta assustá-lo e mandá-lo embora. Entre os machos, é uma atitude normal porque além da defesa do território, eles querem evitar “concorrentes” na disputa por fêmeas.

Agressividade e socialização incorreta no gato

A socialização incorreta do filhote é uma causa de agressividade do gato adulto. A socialização em gatos é uma fase muito importante, pois permite que os filhotes entendam como se comportar em determinadas situações, se acostumando com os estímulos que irão ocorrer em toda a sua vida.  Ao pegar um gatinho quando ele ainda é muito pequeno, o correto é apresentá-lo a outras pessoas e animais, com muita paciência e sob supervisão. O tutor deve acostumar o filhote com a manipulação, como pegar no colo, acariciar em diversas partes do corpo e brincar. 

Maus-tratos

Se um gato for tratado de maneira grosseira, a ponto de sofrer dor e desconforto, aprenderá a resistir ao contato humano. Esse trauma, principalmente se ocorrer na infância, dificilmente será superado. Gatos que não aceitam um contato mais próximo não devem ser forçados a tolerar isso, sob o risco de piorar a situação. Isso ocorre com mais frequência em gatos que foram adotados já adultos, onde alguns cuidados extras são necessários para correta socialização.

Dieta errada

Certos alimentos, desnutrição e deficiências vitamínicas podem desencadear um estresse grande em gatos, que às vezes resulta em agressividade. O gato pode se recusar a comer porque algo na dieta não o agrada, levando a esse quadro.

Gatos brigando entre si: quais as causas?

Embora seja completamente normal que os animais de uma casa ocasionalmente discordem e tenham alguma briga, é importante tentar intervir quando as disputas entre gatos ocorrem com frequência para evitar que os problemas aumentem. Felizmente, existem muitas maneiras de levar os animais a serem amigos em vez de inimigos, ou pelo menos se comportar adequadamente. Mas, é importante lembrar que os gatos são seres solitários e podem não querer socializar com outros amigos peludos.

Identifique as causas do conflito

A melhor maneira de evitar a briga de gatos é identificar a causa.

Se o tutor não sabe ao certo por que seus gatos brigam, a primeira coisa a fazer é observá-los e procurar os motivos que desencadeiam os comportamentos indesejados:

- Os gatos brigam especialmente durante as refeições ou perto de comida e água?

- Eles entram em conflito durante as brincadeiras? Eles lutam para chamar atenção?

- As brigas de gatos são devido à falta de espaços ou lugares individuais para se esconder?

- Em que contexto exatamente as brigas ocorrem?

No entanto, se o motivo não estiver bem claro, deve-se pensar nas situações estressantes mais comuns, como território, disputa de espaço e doenças:

1. Gatos brigando por território: A luta entre gatos por espaço e território é muito comum. Se não houver lugares suficientes para escalar, dormir e ficar, um conflito poderá surgir sobre o território. Então, verifique se os animais de estimação têm espaço individual suficiente para se refugiar; pois compartilhar espaço com outros gatos pode causar estresse.
2. Falta de recursos: Assim como no caso do território, a falta de recursos individuais, como tigelas de água e comida e caixas de necessidades, pode fazer com que os gatos briguem.
3. Em geral, os gatos não se toleram quando uma situação nova estressante ocorre, como numa visita ao veterinário, viagens, mudanças.
4. Socialização errada – Quando não há socialização, ou quando tem a chegada de um novo integrante.
5. Dor causada por uma doença em um dos gatos pode causar comportamento violento e reações agressivas.
6. Instinto de caça. Isso ocorre em felinos que gostam muito de brincar de caçar, “irritando” o outro integrante.
7. Problemas hormonais: A agressividade em gatos machos não castrados em relação a outro gato deve-se a questões hormonais e é provável que tal situação ocorra se houver uma fêmea por perto.

Agressividade em gatos: o que fazer?

Conforme já explicamos, o ideal é detectar as causas e cessá-las. Um ambiente tranquilo, sem situações estressantes e sem disputa é fundamental para evitar agressões. Confira algumas ações recomendadas:

1 – Considere castrar todos os animais da residência

2 - Se você está pensando em levar um novo pet para a casa, apresente ele gradualmente, sempre sob sua supervisão, para que ele conheça e se acostume com o cheiro. Você deve deixá-los separados por alguns dias.

 3 – Recompense o comportamento positivo, oferecendo petiscos e carinhos quando o felino se mostra tranquilo em uma situação que poderia gerar agressividade ou medo.

4- Socialize adequadamente: a socialização deve começar cedo, desde a 3ª semana.

5- Dê um espaço próprio para o gato, onde ele possa ficar sozinho em segurança, longe de pessoas e ruídos.

6 - Aumente o número de camas, tigelas, caixas de areia e brinquedos para evitar rivalidades e comportamentos territoriais.

7 - Vacine o felino contra raiva e outras doenças e mantenha visitas regulares ao veterinário

8 – Procure ajuda profissional sempre que perceber que há algo grave ou fora do seu alcance no convívio do animal.

Esperamos ter ajudado você a manter seu gato livre de brigas, com um convívio saudável e tranquilo. Caso você tenha alguma dúvida, deixe um comentário abaixo ou entre em contato via nossas redes sociais. Em relação a nutrição do seu felino, conte com a ajuda do Suporte Nutricional Farmina - um canal direto com nossos especialistas em alimentação de cães e gatos. Clique aqui e acesse!