Categoria: Cães

Capa de 'A personalidade marcante do Pinscher'

A personalidade marcante do Pinscher

O Pinscher é talvez um dos cães com mais memes na internet. Sua personalidade marcante, digamos, menos amigável que outras raças, sua coragem incrível apesar do seu porte diminuto faz sucesso. Assertivo e orgulhoso, o Pinscher não se inibe por causa do seu tamanho, tentando se impor o tempo todo. O nome da raça é Pinscher miniatura, sendo frequentemente confundido como uma mini versão do Doberman pinscher, mas não tem nenhuma relação com a raça de porte grande. Conheça a origem da raça, sua personalidade e características físicas, além de outras informações a seguir.

História do Pinscher

O Pinscher miniatura é chamado de Zwergpinscher na Alemanha, seu país de origem. Em alemão, a palavra pinscher refere-se não somente a essa raça, mas a cães que foram criados como guardiões ou para caçar ratos, e zwerg significa "anão ". Nos Estados Unidos são conhecidos como “Min Pin”. Existem outras raças com o nome “Pinscher”, principalmente na Europa.

A história do Pinscher remota de vários séculos atrás, e o ponto exato de origem permanece obscuro. Os historiadores da raça acreditam que são originários de um cruzamento do Dachshund e do Greyhound Italiano. O antigo Pinscher alemão é outra raça que parece estar envolvida no desenvolvimento do Pinscher miniatura. Embora menor que o Pinscher alemão, o Pinscher miniatura era um excelente caçador de ratos, sem medo de atacar e matar roedores que eram quase tão grandes quanto ele.

O Pinscher Miniatura é um dos membros mais antigos e comuns da família Pinscher / Schnauzer. Essa família também inclui o Doberman Pinscher, o Pinscher Alemão, o Pinscher Austríaco, o Schnauzer Miniatura, o Schnauzer Standard, o Schnauzer Gigante e o Affenpinscher. Apesar de ter os contornos corporais e formato do crânio muito parecidos com os Dobermans, o Pinscher miniatura é uma raça mais antiga. Essas raças eram usadas principalmente para caça de ratos (os de porte pequeno e médio), e para guarda (os maiores).

Embora não esteja claro quando, em algum momento os criadores decidiram reduzir o tamanho do Pinscher para o porte que conhecemos hoje. Esse processo provavelmente começou nos anos 1700. Mas, existem evidências que sugerem que o Pinscher Miniatura é ainda mais antigo. Postula-se que os criadores começaram a desenvolver utilizando os menores cães da raça Pinscher alemão. Alguns especialistas afirmam que a raça é descendente exclusiva de pequenos Pinschers alemães, enquanto outros afirmam que pequenos Pinschers alemães foram cruzados com outras raças.

Em 1895, criadores alemães formaram o Pinscher Klub e o primeiro padrão de raça foi estabelecido. Por volta de 1919, os primeiros Pinschers foram importados para os Estados Unidos, sendo utilizados nas exposições de cães do American Kennel Club (AKC). Em 1925 a raça foi registrada oficialmente pelo AKC, e a popularidade Pinscher miniatura foi crescendo ao longo das décadas seguintes.

As características do Pinscher

Tamanho e peso

Como o nome já diz, o porte é “miniatura”. Sua altura pode ser de 24cm a 32cm, e seu peso varia de 3,5kg a 4,5kg. A altura é medida do solo até o ponto mais alto dos ombros, chamado de cernelha.

Expectativa de vida

Como toda raça de pequeno porte, a expectativa de vida do Pinscher é alta, passando facilmente dos 12 anos, atingindo muitas vezes os 16 anos de idade. Sabemos que isso é muito variável, e cães com excelente nutrição e cuidados veterinários constantes tendem a viver mais.

Pelagem

Tem a pelagem curta e densa, com pelo áspero que exige pouca escovação. Pode ter cor única, marrom avermelhado claro ou escuro, ou ser bicolor preto e castanho. Nos bicolores, a cor predominante é o preto com manchas vermelho castanho.

Temperamento do Pinscher

É uma raça com muita personalidade. Entre os adjetivos mais usados para descrever o Pinscher miniatura estão ousado, destemido, animado, intenso e enérgico. São naturalmente reservados e desconfiados com estranhos. Embora diferente da maioria das raças pequenas, esse comportamento geralmente não é resultado de nervosismo ou medo, mas de domínio e instinto protetor. Geralmente acreditam que são cães de guarda e, sem socialização e treinamento cuidadosos, podem desenvolver problemas de agressividade. Esta raça é frequentemente muito dominante. Se o tutor não assumir o controle com calma e firmeza, ele poderá ter problemas de convivência com o Pinscher.

Por causa dessas características comportamentais que falamos acima, o Pinscher não é uma raça indicada para crianças pequenas, nem para tutores de primeira viagem, que procuram um cão muito fácil de lidar, como um Pug, por exemplo. Treinamento e socialização são essenciais para essa raça, que quando adequadamente educada, se torna um cão seguro e educado, muito fiel aos seus tutores. O Pinscher é um ótimo cão de companhia para quem procura uma raça “indoor” (dentro de casa) com bastante energia, espírito de cão de guarda e personalidade marcante, diferente de outras raças de mesmo porte que são mais passivas.

As necessidades especiais

Todos os cães têm necessidades específicas, seja pela raça, porte ou personalidade. São geralmente saudáveis, mas, como todas as raças, são propensos a determinadas condições de saúde. Apenas uma menor parte dos Pinschers irão desenvolver uma ou mais de uma dessas doenças, mas é importante o tutor estar ciente delas. Todos os cães têm o potencial de desenvolver problemas de saúde genéticos, assim como todas as pessoas têm o potencial de herdar uma doença específica. O tutor deve adquirir cães apenas de criadores que possuem certificações de saúde para os pais do filhote em questão, com testes negativos para doenças genéticas. Separamos os pontos onde se deve ter mais atenção com Pinschers.

Comportamento

A atitude animada e a personalidade marcante do Pinscher o tornam um ótimo companheiro para o lar certo. São cães muito ativos e energéticos que precisam de exercício. O treinamento adequado é uma necessidade para esta raça. Sem uma educação correta, o cão pode se tornar teimoso e indisciplinado. Devem ser socializados desde filhotes com outros cães, gatos (se possível) e pessoas. Embora possa ser um companheiro afetuoso, não é indicado tratá-lo como um cão de colo, pois isso o vai tornar mimado e possessivo. Por serem muito curiosos e territoriais, eles tendem escapar facilmente, por isso o tutor deve ficar sempre atento. Importante sempre o tutor se colocar na posição de líder, sendo assertivo e dedicado ao treinamento e educação do Pinscher.

Luxação de patela

Um problema comum em cães pequenos, principalmente os muito ativos que gostam de saltar e correr vigorosamente. Luxação significa deslocamento de uma parte anatômica (como um osso em uma articulação). A luxação patelar é quando a patela (no joelho) desliza para fora do lugar, causando dor. Essa condição pode incapacitar o cão, mas geralmente não causa graves problemas. Existe correção cirúrgica e meios de prevenir, como evitar que o cão salte, principalmente subindo e descendo do sofá e da cama.

Doença de Legg-Calvé-Perthes

Esta doença envolve a articulação do quadril, quando ocorre um fornecimento de sangue insuficiente para a parte superior do fêmur. Com isso, há uma deterioração da cabeça do fêmur que se conecta ao quadril. Os primeiros sintomas são o mancar e atrofia do músculo da perna. Essa doença ocorre em filhotes, durante a fase de crescimento dos ossos. É uma doença determinada geneticamente, e que vai exigir tratamento cirúrgico.

Atrofia progressiva da retina

Uma doença que atinge estruturas oculares progressivamente, levando geralmente à cegueira. É uma doença herdada geneticamente também. Apesar de não haver tratamento, os cães acometidos acabam se adaptando a viver com baixa visão, podendo ter uma vida praticamente normal.

Epilepsia

É uma condição neurológica que é frequentemente, mas nem sempre, herdada. Pode causar convulsões leves a graves, e a frequência também varia muito. Convulsões são assustadoras de assistir, mas o prognóstico a longo prazo para cães com epilepsia não é ruim, já que existe tratamento para controlar os episódios epiléticos. Não se sabe o motivo, mas o Pinscher é uma das raças mais acometidas por essa doença.

Problemas digestivos e de apetite

Raças muito pequenas como o Pinscher tendem a ter um sistema digestivo delicado. O tutor deve escolher muito bem o alimento do pet para evitar problemas de má digestão. O apetite desses cães também é mais sensível. Por vezes, se acostumam com mimos e alimentos não recomendados, tornando-se muito difícil corrigir a dieta depois. Por isso, é importante oferecer alimentos completos e balanceados que levam em conta as particularidades alimentares dos cães, satisfazendo os apetites mais exigentes.

Como a nutrição pode ajudar o Pinscher

Uma nutrição excelente pode ajudar muito o Pinscher a ter uma vida saudável e longeva. Apesar do porte, os Pinschers não deixam de ter as características alimentares de carnívoros, necessitando de dietas de alta proteína de origem animal, menor quantidade de carboidratos e ricas em micronutrientes, como vitaminas, minerais e antioxidantes.

Dietas funcionais

A nutrição funcional se refere a alimentos ou dietas que têm funções além de fornecer os nutrientes necessários para a vida. São alimentos que têm um efeito potencialmente benéfico para a saúde quando consumidos como parte de uma dieta equilibrada, pois são ricos em antioxidantes e outros micronutrientes benéficos. O objetivo não é fazer um tratamento de alguma condição através da alimentação, e sim fornecer compostos ao organismo que vão ajudar a prevenir e combater doenças. “Funcional” vem dessa função extra que alguns alimentos trazem.

A Farmina, trazendo os últimos avanços em nutrição de carnívoros, desenvolveu uma linha funcional, chamada N&D Quinoa. As dietas funcionais da Farmina visam restaurar o bem-estar e oferecer suporte nutricional a animais que foram afetados por condições adversas, ou que estão predispostos a desenvolver afecções específicas. A Quinoa é um dos ingredientes, escolhida por suas propriedades funcionais e nutricionais únicas. 

Alimentos úmidos

Além de oferecer produtos funcionais, o tutor tem a opção de utilizar alimentos úmidos completos para o seu animal de estimação. Esses alimentos têm um alto teor de umidade, o que contribui diretamente para hidratação do pet, ajudando na prevenção de problemas urinários. Para cães que tem um apetite seletivo como o Pinscher, os alimentos úmidos completos recém lançados pela Farmina são indicados.

A linha N&D Wet de alimentos úmidos tem diferenciais interessantes:

- São minimamente processados, com pedaços reais dos ingredientes (carnes e vegetais com propriedades funcionais) cozidos no vapor suave uma única vez.

- Contém ingredientes nobres, sem a adição de subprodutos ou conservantes artificiais.

- Oferecem novas opções de proteína animal, como pato, cordeiro, javali, bacalhau, badejo, arenque e camarão, além de outras já conhecidas como frango, salmão e atum.

- Não utiliza goma para engrossar a textura do molho.

- Linhas funcionais completas, com indicação para 4 condições de saúde diferentes

Para saber qual alimento Farmina oferecer para o seu animal de estimação, utilize o nosso Plano Nutricional. Ao preencher um formulário, nosso sistema identifica a dieta mais indicada, e calcula a quantidade correta para o seu pet. Clique aqui para ter acesso e ainda garanta um desconto exclusivo para leitores do blog.