Categoria: Gatos

Capa de 'A importância da proteína para os gatos'

A importância da proteína para os gatos

O gato é o animal de estimação mais popular nos Estados Unidos, no Canadá e em grande parte da Europa, e o aumento da população de gatos de estimação também tem sido observado em outros países. Porém, com exceção de alguns povos antigos que adoravam os felinos, como no Egito Antigo, essa popularidade dos gatos é recente e vem das últimas décadas apenas.

Os cães, por exemplo, têm sido criados intensamente por séculos, com o desenvolvimento de muitas raças com aptidões diferentes para trabalho, diferente dos felinos. Como consequência, os gatos domésticos mantiveram muitos aspectos de seus antecessores selvagens, principalmente no que diz respeito ao comportamento alimentar e os requerimentos nutricionais, e a proteína continua sendo o nutriente principal da dieta dos gatos. Entenda a seguir em detalhes a importância desse nobre nutriente para os gatos.

O que são as proteínas e os aminoácidos

As proteínas são moléculas biológicas com inúmeras funções, sendo o componente celular mais abundante nos seres vivos. As funções vão desde formação estrutural de todos os tecidos animais como o desenvolvimento e recuperação de músculos, tendões, cartilagens, ossos, pelos, pele, etc., até formação de hormônios, anticorpos, enzimas, elementos sanguíneos, transporte de moléculas, entre outras funções básicas para manutenção do funcionamento do organismo. Para os carnívoros, as proteínas são fonte primária de energia, diferentemente dos onívoros (como seres humanos) que utilizam os carboidratos primariamente.

Todas proteínas são formadas a partir de uma combinação de vários aminoácidos em cadeia, sendo que existem mais de 20 aminoácidos diferentes que podem estar presentes na formação das proteínas. Podemos categorizar os aminoácidos em 2 tipos:

Não-essenciais: são os aminoácidos que podem ser produzidos pelo próprio corpo. Apesar dos “não-essenciais” terem esse nome, eles são absolutamente necessários para a vida, e dependem de uma alimentação com proteínas para serem produzidos naturalmente. Para os felinos são: alanina, asparagina, aspartato, cisteína, glutamato, glutamina, glicina, hidroxilisina, hidroxiprolina, prolina, serina e tirosina.

Essenciais: essa categoria se refere aos aminoácidos que não podem ser “fabricados” pelo organismo, e dependem da ingestão obrigatoriamente. Para os felinos, são: arginina, histidina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, fenilalanina, treonina, triptofano, valina e taurina.     

As diferenças em relação aos gatos

Os felinos estão dentro da ordem Carnívora, porém diferem-se de outros animais dessa ordem em relação a alimentação por serem carnívoros estritos, ou também chamados de carnívoros obrigatórios. Todos os felinos, desde um leão até um tranquilo gato persa, por exemplo, têm essa mesma necessidade alimentar. Outros membros da ordem Carnívora são os canídeos (como o cão e a raposa), os ursos, guaxinins, hiena, doninhas, entre outros. Boa parte desses animais citados são considerados onívoros ou carnívoros oportunistas, e não dependem exclusivamente da ingestão de presas para sobreviverem, podendo se alimentar de alguns vegetais como parte da dieta.

Se compararmos com cães, os gatos têm uma tolerância menor a uma dieta que não seja rica em proteína, necessitando de uma alta quantidade desse nutriente diariamente. Os gatos têm menos dentes que os cães, porém o mesmo número de dentes carniceiros, isto é, próprios para dilacerar e não triturar, anatomicamente desenhados para comer carne. O metabolismo do cão possui uma certa adaptação a digestão de amido (dada a longa e intensa domesticação), o carboidrato proveniente das plantas, algo não observado nos gatos. A capacidade estomacal é menor que a dos cães, pois eles evoluíram se alimentando diversas vezes ao dia. Na natureza, os gatos selvagens caçam pequenas presas, como roedores, pássaros, rãs, répteis e insetos. O intestino também é mais curto, principalmente se compararmos a animais herbívoros e onívoros, pois alimentos de origem vegetal demandam um trabalho mais intenso e lento do intestino para completa absorção dos nutrientes.  

A quantidade de proteína na dieta também muda, por exemplo, a necessidade mínima de proteína de um gato em crescimento é aproximadamente 50% maior daquela de um cão da mesma idade, e a quantidade proteica para a manutenção de um gato adulto é no mínimo 40% maior do que a de um cão adulto. O gato, e os outros carnívoros estritos, precisam continuamente de uma dieta rica em proteínas. Animais onívoros por exemplo, conseguem “conservar” a proteína extra da dieta quando o organismo percebe a falta desse nutriente, regulando o metabolismo. Gatos não são capazes dessa adaptação, necessitando que todas as suas refeições sejam ricas em proteína.

O aminoácido Taurina é essencial apenas nos felinos. Cães, outros carnívoros e todos animais onívoros são capazes de sintetiza-lo naturalmente. Dietas pobres em taurina podem causar graves problemas nos gatos. Vale lembrar que as fontes naturais de taurina são escassas, se restringindo a algumas fontes animais apenas. As empresas de nutrição animal levam isso em consideração, e mesmo utilizando matérias-primas de origem animal, como carnes e vísceras, adicionam esse aminoácido nos produtos para gatos, garantindo que não haja riscos da falta desse nutriente. Esse é um dos principais motivos que gatos não podem se alimentar de rações para cães

Por que precisa ser proteína de origem animal?

Acredita-se que o gato doméstico tenha como ancestral o Felis sylvestris libyca, um gato selvagem africano que assim como outros felinos se alimentava exclusivamente de suas caçadas. O gato que conhecemos hoje é muito semelhante ao seu ancestral em relação a nutrição, corroborando o que explicamos no tópico anterior sobre as diferenças que os gatos apresentam. Veja os motivos que provam a necessidade de proteína animal para felinos:

1 - Somente as fontes de origem animal, isto é, carnes e vísceras de animais, além de ovos e outras fontes podem oferecer os 11 aminoácidos essenciais aos felinos em quantidade e qualidade suficiente. Vale lembrar também que estes alimentos apresentam digestibilidade muito superior à dos vegetais.

2 - Gatos não conseguem absorver a vitamina A presente nos vegetais, como legumes e frutas. Esse nutriente é encontrado pronto para absorção por gatos somente em alimentos de origem animal, principalmente algumas vísceras (fígado por exemplo).

3 – Gatos apresentam receptores gustativos específicos para aminoácidos presentes nas carnes, rejeitando completamente o sabor amargo (comum em vegetais). Eles também não possuem receptores para sabores doces.

Quais são as fontes ideais de proteína para gatos

As fontes ideais são os alimentos de origem animal, pois reúnem qualidades essenciais: alta digestibilidade e aproveitamento dos nutrientes, palatabilidade (sabor preferido) e a presença dos 11 aminoácidos essenciais em quantidades suficientes. Podemos elencar as carnes de frango, de bovinos e de suínos como fontes usuais para gatos. Temos também a disposição fontes inovadoras como peixe, pato e cordeiro, alternativas excelentes. As carnes e vísceras desses animais representam as partes mais nobres, e, portanto, mais interessantes para carnívoros.

Como oferecer a melhor nutrição possível para seu gato

Para oferecer uma dieta rica em proteínas de origem animal de alta qualidade e respeitando as características alimentares naturais dos gatos, a Farmina disponibiliza suas linhas para carnívoros. Na linha N&D, mais de 90% das proteínas presentes nos produtos são de origem animal, utilizando sempre matérias-primas de qualidade certificada. Isso garante que o mais nobre dos nutrientes para os carnívoros esteja presente em grande quantidade. A Farmina utiliza fontes inovadoras de proteína animal, como pato, peixe e cordeiro, além das tradicionais fontes, como ovo e frango.

O tutor pode ainda contar com um Plano Nutricional para o seu gato. Uma equipe de profissionais altamente especializados que, com o apoio da tecnologia, projetaram o sistema que executa o plano nutricional personalizado a partir de uma série de informações sobre o pet que o tutor informa. Além do benefício de oferecer um Plano Nutricional exclusivo para o pet, a Farmina também indica as lojas parceiras para adquirir o alimento recomendado. Ao selecionar um ponto de venda, o sistema libera um cupom de desconto exclusivo para a aquisição do produto indicado naquele Plano Nutricional. 

Os promotores Farmina presentes nos principais pontos de venda do país e os médicos veterinários já estão habilitados para auxiliar você neste acompanhamento nutricional exclusivo. É possível que você solicite esse plano também! Clique aqui e preencha todos os dados solicitados receba em seu e-mail o plano nutricional exclusivo.

Caso você tenha alguma dúvida sobre Plano Nutricional Farmina, fale conosco nos comentários ou redes sociais.           

 

Fonte consultada:

LITTLE, S.E. O Gato: Medicina Interna. 1.ed. Rio de Janeiro: Roca, 2015.