Categoria: Cães

Capa de 'A importância da proteína para os cães'

A importância da proteína para os cães

O teor de proteína das rações já foi um assunto só para especialistas. Hoje em dia não é uma cena incomum vermos proprietários escolhendo o produto baseado nesse atributo. Isto se justifica?  Será que essa preocupação com o teor de proteína vem do crescente interesse por esse nutriente nas dietas humanas?

Por serem animais carnívoros, cães precisam de uma quantidade bem maior de proteína na dieta do que humanos, independentemente do seu peso, tamanho ou idade. Outra diferença é que a fonte das proteínas usadas é muito mais importante para os cães. No texto de hoje vamos explicar melhor então sobre esse nutriente tão famoso e sua importância na dieta canina.

 

O que são as proteínas

A proteína é uma molécula biológica composta de uma combinação de aminoácidos. É difícil elencar as funções das proteínas, pois são inúmeras. A estrutura corporal de todos os animais é basicamente feita de proteína. Músculos, ossos, pele, pêlos, unhas, entre outras estruturas são ricas em proteínas. As reações biológicas que ocorrem nas células dependem delas. As proteínas: transportam nutrientes e outras moléculas, constituem hormônios, participam ativamente do sistema imune (anticorpos são proteínas), entre outras funções. Vale ressaltar que as proteínas também servem como fonte energética, principalmente para os carnívoros, que têm facilidade em transforma-las diretamente em glicose.

 

Os aminoácidos        

Os aminoácidos são moléculas pequenas que se ligam em centenas ou milhares para formar as proteínas. Existem mais de 20 aminoácidos para cães e gatos, cada um com suas próprias características que irão influenciar nas funções das proteínas que eles formarem nos diferentes processos que ocorrem no organismo. Os aminoácidos são divididos em “essenciais” e em “não essenciais”. Os dois tipos são imprescindíveis para a vida de todos os animais.

Aminoácidos essenciais: são todos aqueles que o cão não pode produzir organicamente, ou são fabricados em quantidades insuficientes. Assim, eles precisam obrigatoriamente ser obtidos através da dieta. São eles: arginina, histidina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, treonina e valina.

Aminoácidos não essenciais: são aqueles que o cão consegue “fabricar” através do seu organismo naturalmente, a partir de outras proteínas ou aminoácidos ingeridos. São eles: alanina, asparagina, aspartato, cisteína, glutamato, glutamina, glicina, hidroxilisina, hidroxiprolina, prolina, serina e tirosina.

Os alimentos são as fontes naturais de proteína, e, portanto, fontes de aminoácidos. É imprescindível que a dieta contenha níveis apropriados de todos os aminoácidos essenciais, e também aporte suficiente de proteínas para a síntese (fabricação) dos aminoácidos não essenciais.

 

Por que a proteína de origem animal é tão importante?

Temos falado bastante no blog a respeito da importância dos alimentos de origem animal para os cães. Várias características anatômicas e fisiológicas desta espécie ‘deixam claro’ a sua preferência por alimentos deste tipo, como as carnes e seus derivados. Os cães possuem uma dentição adaptada para abocanhar e rasgar a carne, uma grande abertura bucal, um estômago relativamente maior se comparado com outras espécies. Além disso, seu trato digestório é pouco adaptado à digestão e aproveitamento de vegetais, como cereais e outros alimentos que animais onívoros comem.

Outro fato importante é a questão dos aminoácidos essenciais. Todos eles são encontrados em grande quantidade nos alimentos de origem animal. Por exemplo, tanto o ovo, como as carnes bovina, suína, de frango, de cordeiro e até de peixe contêm estes 10 aminoácidos essenciais em teores expressivos. Já os alimentos vegetais possuem uma variedade e quantidade bem menor destes aminoácidos essenciais, e poucos são os que fornecem todos os 10 simultaneamente.

           

Quais são as fontes ideais de proteína?

Para avaliar a qualidade da fonte de proteína devemos verificar a digestibilidade e a concentração de aminoácidos essenciais do alimento. Sabemos que  as vísceras e as carnes são as fontes de proteína de melhor valor biológico, ou seja, com alta digestibilidade e ótima proporção dos aminoácidos desejados. Tanto faz se é carne de frango, de suíno, bovino ou de peixe, ou ainda ovos, todas são consideradas as melhores fontes de proteína para cães.

Entre os alimentos de origem vegetal, são os grãos e as sementes que têm quantidades consideráveis de proteína, entretanto são raríssimos os alimentos com todos os aminoácidos essenciais. A quinoa é um desses, sendo que ela tem aproximadamente 13% de proteína de alto valor biológico na sua composição. Para efeito de comparação, a carne de frango tem aproximadamente 20%. A quinoa também apresenta outros benefícios, pois é fonte de minerais e antioxidantes, e possui um baixo índice glicêmico.

E como oferecer essas fontes nobres de proteína para os cães? Sabemos o quão difícil, oneroso e trabalhoso seria alimentar um cão com alimentos frescos, principalmente na variedade, quantidade e proporção correta dos ingredientes. Existem alimentos balanceados prontos que respeitam a natureza dos cães, que utilizam ingredientes nobres, proteínas de alto valor biológico, além de essências botânicas, frutas e antioxidantes. A Farmina conta com linhas sem grãos transgênicos, com 60% a 70% de ingredientes de origem animal e sem a adição de conservantes artificiais. A Farmina valoriza as características natas dos cães, procurando entender os hábitos, comportamentos e necessidades desses animais.

 

Fontes consultadas:

NEIRINCK, K. et al. Amino Acid Composition and Digestibility of Four Protein Sources for Dogs. Journal of Nutrition, 1991.

NUNES, A.P.V. Avaliação da digestibilidade verdadeira de aminoácidos em fontes proteicas para cães. Dissertação de mestrado. Universidade Estadual de Maringá. 2009