Categoria: Cães

Capa de 'A história das raças de cães'

A história das raças de cães

A domesticação do cão se iniciou há mais de 15 mil anos. Porém apenas nos últimos séculos o homem começou de fato a desenvolver as raças. Atualmente, existem aproximadamente 400 raças de cães catalogadas e reconhecidas em todo o mundo. Confira a seguir um pouco dessa parte incrível da história dos cães: o desenvolvimento das raças. 

A domesticação do cão 

 Desde um pequenino Pinscher até um enorme São Bernardo, todas as raças (inclusive os sem raça definida) descendem de uma mesma espécie, o lobo cinzento. A teoria diz que o lobo foi se aproximando do ser humano aos poucos em busca de restos alimentares.

Essa aproximação se mostrou interessante para os homens, que viviam em pequenos grupos nômades e dependiam da caça para sobreviver. A domesticação começou então em uma época que a agricultura e a pecuária ainda não existiam, e o homem precisava caçar e coletar alimentos para sobreviver em pequenos grupos. Com o tempo, o homem percebeu a utilidade dos lobos para a caça e proteção, e foi selecionando animais mais dóceis e acostumados à aproximação humana.

O lobo é um animal que apresenta a inteligência e o comportamento social altamente desenvolvidos, facilitando todo esse processo. Essas características sociais foram herdadas pelos cães, que acabaram por aprimorá-las ainda mais no convívio com humanos.

 Após o homem já ter domesticado completamente o cão, houve o desenvolvimento das raças. O homem conduziu cruzamentos selecionados dos animais com o propósito de alcançar determinadas características nas crias.

Raças primitivas e suas funções        

Apesar do fato da domesticação dos cães ter começado por volta há mais de 15 mil anos atrás, somente nos últimos 200 anos houve o desenvolvimento da maioria das raças existentes. Porém, é importante ressaltar que existem raças mais antigas, chamadas de primitivas. Conheça alguma delas:

Saluki: Criada até hoje, é considerada umas das raças mais antigas do mundo, originada há mais de 5 mil anos no oriente médio. Foram encontrados muitos Salukis mumificados nas tumbas com os Faraós do Egito Antigo. É um cão esguio, com pernas longas e ossatura leve, criada para atingir altas velocidades. Foi muito utilizado para caçar gazelas, lebres e outras presas velozes nas areias do deserto, proporcionando comida para tribos nômades.

Basenji: Essa raça foi desenvolvida na África, junto a caçadores Pigmeus da região do Congo.  Eles ajudavam na caça, detectando e encurralando as presas. São cães ágeis e com habilidades raras, como escalar árvores. Sua característica mais marcante é a ausência do latido. Foi levado à Europa por volta do ano de 1920, o que popularizou a raça.

Cão Cantor da Nova Guiné: É considerada a raça mais rara do mundo, pois existem apenas na Nova Guiné em vida livre (quase extinto), em zoológicos e com alguns criadores. É considerado um cão semisselvagem, já que poucos conseguiram domesticá-lo. São cães muito flexíveis, hábeis para escalar montanhas, árvores e para saltar. Assim como todos cães primitivos, são exímios caçadores.  São chamados de “cantores” pois uivam de maneira bem diferente, lembrando um canto.

Cão do Faraó: Essa raça foi desenvolvida na Ilha de Malta (Sul da Europa, no Mediterrâneo) se tornando a raça nacional deste país, porém acredita-se que é originária do Egito Antigo. Sua aparência lembra muito os cães desenhados nas obras de arte do povo egípcio. São dóceis, mas eram muito usados como cães de guarda pois latem bastante, e na caça, já que adoram perseguir pequenos animais.

Raças de trabalho

A lista de tarefas que os humanos atribuíram aos cães é extensa. Desde o começo da domesticação, os cães receberam a responsabilidade de exercer atividades importantes.  As primeiras funções foram a caça e a guarda. Além de ajudar a procurar e abater presas que serviam de alimento para os humanos, os cães reforçavam a proteção das tribos ao avisar (e muitas vezes, atacar) quando um intruso invadia o local onde as pessoas viviam.

Com passar do tempo, foram aparecendo outras necessidades. Com o desenvolvimento da pecuária, surgiu a necessidade do pastoreio. O homem começou a selecionar cães bons para a função de guiar rebanhos e proteger os animais dos predadores.  Existem inúmeras raças para este fim, e as mais comuns são: Border Collie, Pastor Alemão, King Shepherd, Pastor Belga e Boiadeiro Australiano.

Outra função bastante comum dos cães na sociedade é a de guiar deficientes visuais em espaços públicos e em situações do cotidiano. Essa relação é considerada relativamente antiga, havendo registros desde a Idade Média, quando foi encontrado em uma madeira, o desenho de um cão conduzindo uma pessoa cega. Entretanto, a primeira escola de treinamento foi criada na Alemanha após a Primeira Guerra Mundial, por iniciativa do Dr. Gerhard Stalling. A ideia da utilização de cães para essa função surgiu devido o grande número de soldados que perderam a visão durante a guerra por conta de gases venenosos. No Brasil, a primeira escola de treinamento foi fundada no ano de 1999, em Florianópolis. 

Os cães-guia são treinados para melhorar a qualidade de vida e trazer segurança aos deficientes visuais. Dessa forma, são adestrados para ignorar possíveis distrações (como pessoas, outros animais, odores, etc.), reconhecer e evitar obstáculos, obedecer a comandos verbais do seu dono, entre outros. As raças mais usadas para esse tipo de atividade são aquelas que possuem fácil aprendizado, docilidade, boa memória e inteligência. Entre elas podemos destacar o Labrador, o Golden Retriever e o Pastor Alemão.

As raças atuais

Apesar de até hoje o homem utilizar os cães para caça e pastoreio, muitas raças de cães têm sido as preferidas para outras funções. Um exemplo são os cães que trabalham como farejadores, podendo identificar desde drogas até pessoas desaparecidas. O Beagle, Pastor Alemão, Pastor Belga, Foxhound Inglês e o Basset Hound são as raças mais conhecidas para esse serviço. 

Existem também os cães que ajudam bombeiros no resgate de vítimas de acidentes. Graças a sua coragem, disposição e habilidade na água, o Labrador é a raça mais utilizada. Para os cães policiais, que imobilizam criminosos, o Pastor Alemão, Pastor Belga Malinois e o Rottweiler são as melhores para trabalho na polícia.

Outra nobre função dos cães é a companhia.  Atualmente, a maioria dos cachorros estão sendo criados como animais de estimação. São chamados de “pets”, um termo originado nas Escócia, no século XIV, que se refere a “animal domado”. As raças mais populares desenvolvidas para companhia são: Lhasa Apso, Shih Tzu, Poodle, Pug, Lulu da Pomerânia, Yorkshire, Maltês e Bulldog Francês.

Além das raças citadas aqui, existem muitas outras que desempenham funções importantíssimas para o ser-humano. Fique ligado nos próximos textos que falaremos mais sobre esse assunto. Caso tenha dúvidas ou sugestões, deixe um comentário abaixo.