Categoria: Saúde e Bem-Estar

Capa de 'A história da nutrição dos cães e gatos - O começo de tudo'

A história da nutrição dos cães e gatos - O começo de tudo

Estamos começando uma série de artigos sobre a história da nutrição dos cães e gatos. Você vai entender como essa área mudou radicalmente nas últimas décadas, garantindo tecnologia de ponta e os melhores alimentos para animais de estimação. O texto a seguir vai falar de quando tudo começou, das novidades da época e dos benefícios que o alimento completo e balanceado trouxe aos animais.

O início dos alimentos industrializados

Os cães e gatos são domesticados há mais de 20 mil anos, porém apenas no século 19 (ano 1800 em diante) começaram a se tornar animais de companhia. Os animais utilizados para caça comiam as sobras das presas que caçavam e provavelmente eram os que recebiam a melhor alimentação possível. Com a revolução industrial e a ascensão da classe média, as famílias começaram a manter cães e gatos como animais de estimação de fato e, a partir daí, iniciou-se a preocupação em relação à alimentação.

O primeiro alimento comercial para cães foi criado em 1860, por um empreendedor americano chamado James Spratt. Em uma viagem à Londres, Spratt viu que os tripulantes deixavam restos de um biscoito comum na época, que eram devorados por cães que aguardavam nas docas. Feitos à base de farinha e água, esses biscoitos eram usados em viagens longas por serem pouco perecíveis e muito práticos.

Spratt imaginou que os tutores de cães poderiam se interessar por algo com características parecidas, dada a dificuldade de estocar e conservar alimentos frescos, criando na Inglaterra o primeiro biscoito, e, portanto, o primeiro alimento comercial para cães do mundo. Alguns anos mais tarde, Spratt levou sua ideia aos EUA, iniciando a indústria de alimentos para cães lá também. A partir de 1900, novas opções de alimentos surgiram, inclusive para gatos, e na década de 1920 já existiam versões enlatadas, as mais populares da época.

Os produtos extrusados

Apesar de seguros, fáceis de estocar e conservar, os alimentos secos recebiam muitas reclamações sobre a aparência, textura e digestibilidade. A fim de aprimorar a qualidade dos produtos, na década de 1950 surgiu a ideia de extrusar os alimentos usados na fabricação das rações.

A extrusão é um processo em que ingredientes secos e úmidos são misturados como uma massa uniforme e cozidos no vapor passando em tubos sob alta pressão.  Esse processo físico aumenta o valor nutricional do produto, pois torna os ingredientes mais digeríveis, melhora o sabor, padroniza a textura favorecendo a apreensão e mastigação e permite a conservação do alimento por um longo período.

O uso de extrusão para produção de ração comercial ganhou força ao longo das décadas de 1960 e 1970, quando as empresas usaram a tecnologia para criar novos sabores e variedades.

No Brasil, apenas na década de 1970 começou a produção de alimentos completos para cães e gatos, já extrusados. Até então, apenas rações para animais de produção (suínos, frangos e bovinos) eram fabricadas aqui.

Os produtos para fases da vida

Com o aprimoramento das técnicas de produção, a garantia de melhor qualidade e uniformidade dos alimentos era uma realidade. A popularização da ração, contribuiu para o desenvolvimento do primeiro alimento completo para cães em crescimento na década de 1960. Atenta às necessidades dos pets e dos seus tutores, toda a indústria de nutrição animal seguiu essa tendência, e as empresas lançaram suas variedades de ração para filhotes de cães, de gatos e, posteriormente, para animais idosos.

Durante todo esse tempo, inúmeros estudos acerca das necessidades nutricionais dos pets foram feitos em universidades e centros de pesquisas muito conceituados na Europa e nos EUA. Existem grandes entidades que fornecem toda a base científica para a formulação das rações, com informações constantemente atualizadas e os requerimentos nutricionais para as diferentes fases e estilos de vida dos cães e gatos, tudo catalogado na literatura médica veterinária.

As vantagens dos alimentos completos e balanceados

O alimento completo balanceado para animais traz toda a qualidade, segurança e praticidade disponíveis atualmente para os tutores. Esses alimentos foram desenvolvidos após décadas de intensas pesquisas.

Cães e gatos são animais carnívoros, com fisiologia digestiva e metabolismo muito diferente de seres humanos. Existe uma série de particularidades, tanto dos requerimentos nutricionais, como das preferências alimentares que são levadas em conta na fabricação desses produtos.

Algumas pessoas consideram oferecer alimentação caseira ao seu animal de estimação, porém essa opção pode trazer alguns riscos que devem ser considerados:

Desequilíbrios nutricionais: a dieta de cães e gatos deve ter quantidades específicas de cada nutriente. Após décadas de pesquisas científicas realizadas por pesquisadores e instituições chegou-se ao consenso na literatura de quais são os valores mínimos e máximos de cada nutriente. Além disso, existe um equilíbrio que deve ser seguido. O desequilíbrio dos nutrientes pode causar problemas de saúde a curto e longo prazo.

Dificuldades digestivas: muitos alimentos apresentam baixa digestibilidade para cães e gatos. É o caso da maioria dos vegetais, que precisam de um pré-preparo para serem devidamente digeridos e absorvidos. Grãos, folhas e legumes podem fazer parte da alimentação de carnívoros desde que presentes em baixas quantidades e estejam devidamente prontos para o sistema digestório. O processo de extrusão que as empresas de nutrição fazem visa justamente tornar esses alimentos digeríveis, aumentando seu valor nutricional.

Obstruções: esse risco existe quando o animal tenta comer alimentos duros e que não podem ser digeridos. Oferecer ossos, cascas, frutas com caroços e sementes pode ser extremamente perigoso.

Toxinas: alguns alimentos têm substâncias tóxicas em sua composição. Alimentos aparentemente inofensivos e muito apreciados por nós podem gerar graves intoxicações em cães e gatos.

A Farmina Pet Foods oferece alimentos de altíssima qualidade, prezando o equilíbrio nutricional recomendado para seu pet. A linha N&D respeita a natureza carnívora dos cães e gatos com matérias-primas nobres, livre de alimentos transgênicos e conservantes artificiais em sua fórmula, além de incluir essências botânicas e outros ingredientes naturais que visam ajudar na prevenção de problemas de saúde.  Acesse nosso site e conheça toda a linha N&D! Se tiver dúvidas ou sugestões, deixe um comentário abaixo.

 

Fontes:

Digest. The Farmer’s Dog - The history of commercial pet food: a great american marketing story

Pet Food Institute – History of Pet Food

PUTAROV, T.C.; CARCIOFI, A.C. amido e cozimento – criando funcionalidade com a extrusão termoplástica. XV Congresso CBNA PET 2016.